PUBLICIDADE
Topo

Rápido panorama do metal nacional - 38

Combate Rock

23/11/2019 06h55

Marcelo Moreira

– Necrowar – Mais uma banda investe no death/thrash com temas ligados a guerras em "Verdict". O esforço é válido, mas o grupo passa longe da inovação ou originalidade. Tudo é bem executado com uma produção bem razoável, mas ficou faltando alguma coisa para chamar mais a atenção. "Fruits of Greed" é a melhor canção.

– Eros – Veterano grupo carioca, a banda volto às atividades após 24 anos e coloca no mercado agora o EP "Back With Wisdom", um petardo thrash relembrando um período ruim da humanidade em termos de política internacional: a ameaça de guerra nuclear nos anos 80, com a constante tensão entre Estados Unidos e União Soviética. As quatro músicas são boas e muito pesadas, embora sem muita originalidade. É thrash metal reto e veloz, feito com competência. O destaque vai para "Atomic Messengers".

– Saída de Emergência – Com a profusão de bandas extremas e de heavy metal tradicional em São Paulo, é bom escutar de vez um quando um rock básico bem feito. Aparentemente despretensioso, "Nova Velha Era" lembra os bons tempos do Golpe de Estado e até mesmo o Barão Vermelho do início. Com bons riffs de guitarra e uma cozinha maneira (baixo e bateria são precisos e sóbrios), o Saída de Emergêncvia manda bem em temas como ""Rousa Suja", "Salve-se Quem Puder" e "Velório de Indigente".

– Cavina – Dois brasileiros e um boliviano se juntam em Londres e chaman tanta a atenção para o seu trio que chovem convites para shows na cidade e ofertas para gravar um CD. Parece improvável, mas foi isso o que acontecem com o Cavina. Depois de três anos de ascensão, o trio chega a "Howls of Mind", variando entre o hard rock e o stoner, embora os membros do grupo afirmem que nada mais fazel, é bem legam do que blues. Seja como for, o álbum com um acento inglês bem marcante, por mais que algma "pegada" de guitarra denuncie a origem da galera. O blues realmente é a base das boas "Breaking the Shell" e " I Live in Hell", mas são as pesadas "Walk Through the Valley" e "Weak Flesh" as mais legais.

– Fishead – Uma banda hard que decidiu virar heavy, em uma decisão acertada. O Fishead não é uma banda nova no pedaço, mas esse é apenas o segundo trabalho da banda. A evolução é evidente, com boas ideias e arranjos de guitarra bem bacanas. "I Wish I Could" é o destaque.

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br

Blog Combate Rock