Combate Rock http://combaterock.blogosfera.uol.com.br O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Thu, 14 Nov 2019 09:35:56 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Pelo direito de ficar no palco até os 90 anos http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/14/pelo-direito-de-ficar-no-palco-ate-os-90-anos/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/14/pelo-direito-de-ficar-no-palco-ate-os-90-anos/#respond Thu, 14 Nov 2019 09:35:56 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29142 Marcelo Moreira

Scorpions no paçlco do Rock in Rio 2019 – o vocalista Klaus Meine tem 71 anos e mandou bem (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Qual foi a útima música inédita/autoral que B.B. King, um gigante do blues, gravou e lançou antes de morrer aos 89 nos de idade? Qual foi o último grande lançamento inédito de Buddy Guy?

Ninguém lembra ou faz questão de lembrar, mas os dois blueseiros são quase unanimidade como excelência musical e de performance mesmo após os 60 ou 70 anos de idade.

O curioso é que a maior parte dos mesmos que louvam os gênios veteranos do blues rejeitam a possibilidade de de roqueiros envelhecerem nos palcos.

Adoram malhar o quase setentão David Coverdale, por exemplo, por conta de sua voz menor em shows recentes do Whiotesnake no Brasil.

Malharam sem dó Jon Bon Jovi por conta de suas performances nem tão boas aos 60 anos de idade e são os primeiros a apontar o dedo para o hoje cantor country Robert Plant (ex-Led Zeppelin), 71 anos, e Ian Gillan (Deep Purple), 75 anos. “Onde está a voz desses caras?”

A pretensa separação do Skank – na verdade, a banda apenas anuciou uma parada por tempo indeterminado – suscitou uma série de discussões sobre a “velhice” dentro do rock e sobre quando uma banda/artista deve parar.

É uma discussão inútil e desrespeitosa. Quem decide quando deve parar é o artista. Pressionar uma banda veterana é pelo seu fim, seja lá qual for o motivo ou a tosca opinião predominante, não só é estúpido como fora de propósito.

É legítimo e aceitável que se critique shows ruins, álbuns péssimos e qualidade aquém de material autoral novo, mas soa absurdo qualquer “sentença de aposentadoria compulsória” baseado em achismos e meras opiniões pessoais.

O mesmo que critica Coverdale ou Mick Jagger por insistir no rock e em shows ao vivo é o mesmo que aplaude a longevidade de Buddy Guy e que babou nos shows de B. B. King e John Mayall octogenários – e sem exigir desses performances de um Pelé ou Maradona no auge da idade e da forma.

Que se deteste um artista e que se critique sua música ruim e suas patéticas performances. Entretanto, lutemos para que o mundo deixe de passar vergonha com a asquerosa “decretação de aposentadoria compulsória” para qualquer tipo de artista. É extramente desagradável escutar esse tipo de impropério de gente incapaz de apreciar qualquer tipo de arte.

E é bom lembrar que, a qualquer momento, sempre haverá algum tipo de ser pobre de espírito à espreira pronto para decretar a sua própria aposentadoria no seu trabalho, no seu emprego ou na sua vida.

 

 

]]>
0
Ex-integrantes do Jethro Tull tocam em tributo à banda no Brasil em 2020 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/13/ex-integrantes-do-jethro-tull-tocam-em-tributo-a-banda-no-brasil-em-202/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/13/ex-integrantes-do-jethro-tull-tocam-em-tributo-a-banda-no-brasil-em-202/#respond Wed, 13 Nov 2019 20:00:31 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29244 Marcelo Moreira

Martin Barre (esq.) e Barriemore Barlow, ex-ntegrantes do Jethro Tull (FOTO: MONTAGEM CO FOTOS DE DIVULGAÇÃO)

Praticamente no mesmo dia em que Ian Anderson anunciou que sua versão do Jethro Tull voltará à ativa para 11 shows na Inglaterra, antigos integrantes do grupo decidiram também comemorar os 50 anos de carreira do grupo com shows pelo mundo – uma espécie de tributo a eles mesmo.

É algo parecido coom o Creedence Clearwater Revisited ou Dire Straits Legacy, que já passaram pelo Brasil pelos últimos anos.

O que espanta é a presença de Martin Barre, guitarrista que esteve por mais de 40 anos no grupo. Substituiu (Black Sabbath) no finla de 1968 e ficcou até 2012, quando Anderson decidiu acabar com a banda e seguir carreira solo, mas utilizando o indefectível nome Ian Anderson’s Jethro Tull.

Ao que parece, Barre não digeriu o fim do grupo e a nova encarnação. Tocando por diversão em alguns botecos da Inglaterra – lançou um disco de blues gravado ao vivo no ano passado -, aceitou uma proposta estranha para integrar um tributo a ele mesmo ao lado de Barriemore Barlow, baterista do Jethro Tull entre 1971 e 1980.

O grupo trubito anunciou que se apresentará em três cidades brasileiras em março de 2020: São Paulo (5/3), Curitiba (6/3) e Rio de Janeiro (8).

O show na capital paulista acontece no Espaço das Américas, com o luxuoso apoio do tecladista Adam Wakeman – filho de Rick Wakeman e ex-integrante das bandas de apoio de Ozzy Osbourne e Black Sabbath. Em Curitiba, a apresentação é no Tork N’ Roll e o Rio de Janeiro recebe o grupo no Vivo Rio.

Entretanto, a grande atração é Martin Barre, um instrumentista de formação jazzística que mergulhou no blues e no folk pra dar uma cara completamente originl ao rock progressivo do Jethro Tull.

Foi a escolha óbvia e imediata para substituir Tony Iommi, então um guitarrista esquisito de Birmingham que tinha sido convidado a entrar no lugar do inquieto e inseguro Mick Abrahams, o instrumentista da formação original.

O fuindador do Black Sabbath, então Earth em 1968, não via futuro em sua banda e aceitou, meio a contragosto, o emprego no Jethro Tull.

Entretanto, não durou mais do que 20 dias. Com saudades dos amigos do Earth e irritado com o comportamento de Anderson – não bebia, não se integrava com o resto da banda e exigia uma rígida, exigente e espartana rotina de trabalho -, Iommi percebeu que estava no lugar errado.

Quando o grupo gravou o especial de TV “Rock and Roll Circus”, dos Rolling Stones, no comecinho de dezembro de 1968, Iommi já tinha avisado que passaria o Natal em casa e não voltaria.

Barre era prativcamente a única – e certeira – opção e aceitou prontamente o cargo, sendo responsável pela gravação de quase todos os álbuns do Jethro Tull – sõ não participou de “This Was”, o primeiro, de 1968.

Sobre Barriemore Barlow, é srpreendente que tenha aceitado participar desse projeto. Substituto do correto e lunático Clive Bunker, seu jeitro disciplinado e preciso também agradou ao chefe.

Depois da fase progressiva intensa, na primeira metade dos anos 70, seu som ficou mais pesado e agressivo ao vivo, empurrando a banda para outro patamar, coincidindo também com uma fase mais hard de Barre.

Quando deixou o grupo, em 1980, passou por algumas bandas naquela década e se tornou um músico de estúdio requisitado, atuando também como produtor, mas acabou sumindo do mapa.

As reações nas redes sociais foram de chacota e de incredulidade, com muita gente reclamando que Jethro Tull sem Ian Anderson não é Jethro Tull.

Está correto, mas vale a correção. Em nenhum momento Barlow e Barre disseram que se  tratava de uma versão do Jethro Tull. Sempre ficou claro que eram apenas dois ex-integrantes fazendo um tributo à banda que lhes deu fama.

]]>
0
Notas roqueiras: Abbath, Evergrey, Tandra… http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/13/notas-roqueiras-abbath-evergrey/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/13/notas-roqueiras-abbath-evergrey/#respond Wed, 13 Nov 2019 15:00:52 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29167

– O Abbath, um dos nomes mais respeitados do black metal mundial, está prestes a retornar ao Brasil. A banda toca no p  róximo dia 17 de novembro, no Carioca Club, em São Paulo. No repertório, Abbath (vocal/guitarra), Ole Andre Farstad (guitarra), Ukri Suviletho (bateria) e Mia Wallace (baixo) tocarão sons da carreira solo do lendário frontman e clássicos do Immortal. As entradas custam R$ 60 (pista meia-entrada/promocional) e R$ 95 (camarote meia entrada/promocional), e estão à venda na Galeria do Rock (Paranoid Records), na bilheteria do Carioca Club e pelo site do Clube do Ingresso (https://www.clubedoingresso.com/evento/abbath-sp) e pontos autorizados. 

– A banda sueca Evergrey, um dos nomes mais importantes do prog metal atual,  tocará em São Paulo no próximo dia 23 de novembro, no Carioca Club. No repertório, Tom S. Englund (vocal/guitarra), Rikard Zander (teclado), Johan Niemann (baixo), Jonas Ekdahl (bateria) e Henrik Danhage (guitarra) prometem executar clássicos da carreira e as principais composições do excelente novo álbum, “The Atlantic”. Os ingressos continuam à venda na Galeria do Rock (loja Paranoid), pelo site do Clube do Ingresso (https://www.clubedoingresso.com/evento/evergrey) e pontos autorizados.  Após oito anos, o Evergrey retorna ao Brasil ainda mais sólido, autêntico, maduro e no auge da carreira. “The Atlantic” foi lançado em 25 de janeiro deste ano com a missão de superar o “The Storm Within” (2016), que ficou nas primeiras posições nas paradas de diversos países. “Este é o nosso álbum mais pesado, mais sombrio e talvez o nosso mais diversificado até hoje. É tudo o que queríamos compor e as palavras das letras vêm diretamente de um lugar de transparência e lucidez nunca antes experimentada. Mal podemos esperar por você para compartilhar esta jornada conosco e mergulhar em nossos mundos, nossas profundezas e as águas do ‘Atlântico’!”, declarou o frontman Tom S. Englund.

SERVIÇO SÃO PAULO

Data: sábado, 23 de novembro de 2019
Local: Carioca Club
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 2899 -Pinheiros (próximo ao metrô Faria Lima)
Horário: 17h30 (abertura da casa) | Showtime: 19h
Assessoria de Imprensa: press@theultimatemusic.com | (11) 964.197.206
Evento Fb: https://www.facebook.com/events/2071860919780832
Classificação etária: 16 anos. Entre 14 e 15 anos: entrada permitida com responsável legal, mediante apresentação de documento
Estacionamento: locais próximos sem convênio
Estrutura: acesso para deficientes, área para fumantes

# SETORES/VALORES
– PISTA MEIA/PROMOCIONAL*: R$ 130,00
– CAMAROTE MEIA/PROMOCIONAL*: R$ 190,00
*O ingresso promocional antecipado é válido mediante a entrega de 1 kg de alimento não-perecível na entrada do evento.

MEET & GREET: R$ 110,00 (preço único)
– O meet & greet ocorrerá no Carioca Club Pinheiros no dia do show, em horário a ser anunciado posteriormente;
– O meet & greet dá direito a uma foto e autógrafos da banda;
– O meet & greet não inclui ingresso para o show, que deverá ser adquirido separadamente.

# PONTOS DE VENDA – Galeria do Rock (Paranoid – sem taxa de conveniência/pagamento apenas em dinheiro)
# COMPRA PELA INTERNET – https://www.clubedoingresso.com/evento/evergrey
Formas de Pagamento: dinheiro, cartões de crédito e débito Visa, MasterCard, e American Express 

– O “Apocalyptic Ritual” será realizado no dia 16 de novembro em Curitiba (PR), onde excelentes bandas se apresentam para o público que comparecer aos roles que estão sendo organizados. Vão tocar as bandas Tandra,  Lacrimae Tenebres, Inception e Tressultor na casa “Hangar – Casa do Ócio”. O evento terá início às 21h e os ingressos estão sendo vendidos pelo valor de R$ 15,00.

Serviço:

Evento: Apocalyptic Ritual II

Atrações: Tandra – Lacrimae Tenebres – Inception – Tressultor

Data: 16 de novembro de 2019

Local: Hangar – Casa do Ócio

Endereço: Alameda Dr. Muricy, 1091, São Francisco, Curitiba/PR

Horário: 21h

Ingressos: R$15,00

 

]]>
0
Desfigurado, Jethro Tull anuncia ‘volta’ para turnê em 2020 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/13/desfigurado-jethro-tull-anuncia-volta-para-turne-em-2020/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/13/desfigurado-jethro-tull-anuncia-volta-para-turne-em-2020/#respond Wed, 13 Nov 2019 09:32:59 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29152 Marcelo Moreira

Jethro Tull em sua formação do começo de 2018 (FOTO: DIVULGAÇÃO)

O cantor e flautista escocês Ian Anderson é um dos artistas mais astutos e inteligentes do rock. Lìder do importante Jethro Tull, um colosso do rock progressivo, ficou milionário ao se tornar um dos mais importantes produtores de salmão da Europa.

Conhecido por sua ética rigida de trabalho e pela coerência ao tratar de forma sóbria e reta a sua carreira, decidiu encerrar o Jethro Tull em 2011 e fazer curtas turnês esporádicas com o nome de Ian Anderson’s Jethro Tull com formações variáveis. Foi a forma que encontrou para dar maior erentabilidade ao negócio e iniciar uma carreira solo lasetrada no repertório da ex-banda.

Depois de um tempo quieto, Anderson, de 71 anos, deicidu voltar à ativa e fem um anúncio capcioso na internet, onde informava que o Jethro Tull estava de volta para ao menos 11 shows na Inglaterra em 2020. O seu nome vinha bem pequeno no topo do cartaz, com a inscrição “Ian Anderson Presents”.

Do jeito que está, não se sabe se é o Jethro Tull ou se é o Ian Anderson’s Jethro Tull que fará a turnê inglesa. Isso faz diferença? Não na prática, mas no ideário dos fãs, sim.

Quando o líder acaba com o grupo e inicia um projeto que leva o seu nome à frente, está claro que é um projeto solo, que inclui material que vai além ao da banda. Além do mais, fica claro que os músicos que o acompanham são uma mera “banda de apoio”.

Se fosse o Jethro Tull apenas, como banda, haveria a esperança de ver o fantástico guitarrista Martin Barre de volta, assim como músicos excelentes como Doane Perry e Dave Pegg.

Portanto, esqueça essa esperança. O que teremos, na verdade, é a banda Ian Anderson’s Jethro Tull, o que, repito, não faz a menor diferença se analisarmos os últimos anos da carreira do cantor.

“The Prog Years Tour 2020” ocorrerá entre os meses de setembro e outubro com foco no material mais antigo e progressivo do grupo. São os álbuns “Stand Up”, “Benefit”, “Aqualung”, “Thick As A Brick”, “Passion Play” e “Thick As A Brick 2”, lançados entre 1969 e 1973 (exceto o último, que é de 2015).

Ian Anderson, estará acompanhado de David Goodier (baixo), John O’Hara (teclado), Joe Parrish (guitarra) e Scott Hammond (bateria), músicos pouco conhecidos fora da Grã-Bretanha.

]]>
0
Notas roqueiras: Rider, R.I.V., Vírus HC… http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/12/notas-roqueiras-rider-r-i-v-virus-hc/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/12/notas-roqueiras-rider-r-i-v-virus-hc/#respond Tue, 12 Nov 2019 23:51:52 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29158 – Acaba de ser oficialmente liberado o videoclipe da banda Rider, “Iron Mask”. A faixa é também e a primeira que a banda disponibiliza de seu novo álbum, “Midnight Line” que será lançado muito em breve. O vídeo muito bem elaborado, traz aquela áurea criada por grandes bandas dos anos 80. É notório que a banda se propôs a elaborar essa concepção nostálgica na estética visual de seu clipe, concedendo um charme acima do esperado nas imagens. O clipe de Iron Mask pode ser conferido no link abaixo: https://www.youtube.com/watch?v=Q60nZG6dXn8&feature=youtu.be

– O R.I.V. acaba de liberar em seu canal de YouTube, o single “Delicious Nham! Nham!” para audição completa. A música é uma das faixas presentes no álbum “Progressive-Core”, que foi lançado oficialmente no ano de 2018. Gradativamente as músicas estão sendo disponibilizadas no canal de YouTube do grupo. É possível conferir o registro na íntegra em todas as plataformas digitais. Confira: https://www.youtube.com/watch?v=IStDTvav7-Y

– No sábado do dia 16 de novembro, será realizado na cidade de Blumenau/SC, um evento onde quatro grandes bandas se apresentam com suas propostas autorais e de muito peso para os fãs de metal da cidade. Um dos nomes confirmados no evento, a Vírus HC prepara uma venenosa apresentação, onde a principal intenção e contaminar todos que estiverem presente com sua sonoridade agressiva e de extremo bom gosto. As bandas Bullet Bane, Imbimbo e Valeiras Project, também estão confirmadas no evento. Os shows serão realizados no “Box Music” e terá início às 22h.

Serviço:

Evento: Bullet Bane + Imbimbo + Valeiras + Vírus HC

Data: 16 de novembro

Local: Box Music

Endereço: R: São Paulo, 420, Victor Konder, Blumenau/SP

Horário: 22h00

Ingressos: R$25,00 – R$35,00

]]>
0
Ozzy Osbourne lança a música ‘Under the Graveyard’ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/12/ozzy-osbourne-lanca-a-musica-under-the-graveyard/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/12/ozzy-osbourne-lanca-a-musica-under-the-graveyard/#respond Tue, 12 Nov 2019 20:00:59 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29239 Do site Roque Reverso

Ozzy Osbourne trouxe novidades positivas para os fãs depois de um período bastante ruim de notícias. O eterno vocalista do já saudoso Black Sabbath lançou um single que incrementa com qualidade sua premiadíssima carreira solo.

“Under The Graveyard” é o nome da música, que traz Ozzy cantando bem, após um período de percalços com a saúde.

É a primeira faixa solo do “Príncipe das Trevas” desde 2010, quando ele lançou “Scream”, seu mais recente álbum da carreira, sem contar os discos com o Black Sabbath.

Depois de “Scream”, ele chegou a lançar dois trabalhos com o Black Sabbath, o ótimo álbum “13”, de 2013, e o ótimo EP “The End”, de 2016.

“Under The Graveyard” já é uma amostra do futuro álbum solo de Ozzy.

Denominado “Ordinary Man”, o disco será lançado no início do próximo ano pela Epic Records e terá a participação de nomes de peso do rock, como o baixista Duff McKagan, do Guns N’ Roses, e o baterista Chad Smith, do Red Hot Chili Peppers.

As notícias positivas são um alento para o momento turbulento recente. Em um dos vários fatos negativos recentes de Ozzy, ele chegou a adiar, em abril, todas as datas de sua turnê em 2019, incluindo shows que faria na América do Norte e na Europa.

Na ocasião, o eterno vocalista do Black Sabbath informou que se recuperava de uma lesão sofrida, enquanto lidava com seu recente surto de pneumonia, que já havia gerado cancelamentos anteriores de apresentações.  Ozzy caiu em sua casa em Los Angeles, agravando os ferimentos de um grave acidente de quadriciclo em 2003, quando quebrou a clavícula, seis costelas e uma vértebra próxima ao pescoço no acidente em sua casa em Chalfont St Peter, em Londres.

A última passagem de Ozzy pelo Brasil foi em 2018, quando trouxe sua turnê de despedida. 

]]>
0
Notas roqueiras: Richie Kotzen, Bullet for My Valentine… http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/12/notas-roqueiras-richie-kotzen-bullet-for-my-valentine/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/12/notas-roqueiras-richie-kotzen-bullet-for-my-valentine/#respond Tue, 12 Nov 2019 15:00:23 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29062

Richie Kotzen (FOTO: DIVULGAÇÃO)

– Já estão à venda os ingressos para a apresentação do guitarrista norte-americano Richie Kotzen em Brasilia, no dia 23 de novembro. Considerado um dos ‘’Top 5’’ guitarristas do mundo, além de uma sólida carreira solo gravando álbuns mesclando estilos como hard rock, rock’n’roll, jazz, fusion e soul, Kotzen também já integrou as bandas Poison e Mr. Big, e atualmente integra o power-trio “The Winnery Dogs”, juntamente com Mike Portnoy (ex-Dream Theater e Avenged Sevenfold) e Billy Sheehan (Mr. Big). No seu retorno ao Brasil, Kotzen virá acompanhado por Mike Bennett na bateria e Dylan Wilson no baixo, e além de tocar hits de sua carreira solo e outras da época em que passou pelas bandas Poison e Mr. Big, executará também seus últimos singles Venom, Damned e Riot.

Confira as datas da turnê:
19/11 – Campinas – Grainne’s
20/11 – São Paulo – Carioca Club
21/11 – Florianópolis – John Bull
23/11 – Brasilia – Galpão da ARUC
24/11 – Goiania – Bolshoi

BRASILIA – DF

Atração: RICHIE KOTZEN
Data: 23 de Novembro de 2019, Sábado
Horário: Portas 20h / Richie Kotzen 21h30
Local: Galpão da ARUC
Endereço: SRES Área Especial, 8 – Cruzeiro Velho, Brasília – DF
Classificação: 18 anos

Informações e compra de ingressos

SETORES PREÇOS (R$)
1º Lote meia-entrada Promocional antecipado 100,00
2º Lote meia-entrada Promocional antecipado 120,00

Online
Vendas online pelo site da Ticket Brasil: https://ticketbrasil.com.br/show/7338-richiekotzen-brasilia-df/ , Sujeito a taxas de serviços.

Pontos de Venda (Sem taxa de serviço)

Melodia Music Center
Endereço: SHCGN CLR – Quadra 706 – Bloco F – Loja 44 e 51
Segunda a sexta das 09h às 13h e Sábados das 13h às 17h

Porão – Taguatinga
Endereço: CSB 02 – Lote 08 Loja 02 – Taguatinga DF
Segunda à sábado das 09h às 19h

– A banda britânica Bullet For My Valentine está prestes a desembarcar na América do Sul, após quatro longos anos sem passar pelo Continente. Um dos principais representantes do rock/metal contemporâneo traz a turnê mundial do novo poderoso álbum “Gravity” especialmente ao Peru, Brasil, Argentina e Chile. A única apresentação de Matthew Tuck (vocal/guitarra), Michael Paget (guitarra), Jason Bowld (bateria) e Jamie Mathias (baixo)  no País, acontece no dia 24 de novembro, na Tropical Butantã, em São Paulo. A abertura será da banda brasileira Sea Smile. 
Os ingressos estão à venda pelo site https://www.ticketbrasil.com.br

 SERVIÇO SÃO PAULO

Data: domingo, 24 de novembro de 2019
Local: Tropical Butantã – www.tropicalbutanta.com.br
End: Av. Valdemar Ferreira, 93 (200m do Metro Butantã)
Horário: 18h (abertura da casa)
Infoline: 11 3031-0393
Informações gerais: info@liberationmc.com
Assessoria de Imprensa: press@theultimatemusic.com | (11) 964.197.206
Classificação etária: 16 anos. Entre 14 e 15 anos somente acompanhado por pai ou mãe munidos de documentos  ou responsável legal
Estacionamento: locais próximos sem convênio
Estrutura: acesso para deficientes, área para fumantes
 
# SETORES/VALORES (3º lote)
– PISTA VIP MEIA/PROMOCIONAL*: R$ 250,00
– PISTA NORMAL MEIA/PROMOCIONAL*: R$ 200,00

– CAMAROTE MEIA/PROMOCIONAL*: R$ 250,00
*O ingresso promocional antecipado é válido mediante a entrega de 1 kg de alimento não-perecível na entrada do evento.

]]>
0
Missas poderão entrar na Lei Rouanet – e ninguém protesta! http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/12/missas-poderao-entrar-na-lei-rouanet-e-ninguem-protesta/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/12/missas-poderao-entrar-na-lei-rouanet-e-ninguem-protesta/#respond Tue, 12 Nov 2019 09:30:32 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29150 Marcelo Moreira

O silêncio incomoda demais, só que não se vê mais sinais de constrangimento. Apenas algmas manifestações envergonhadas e tentativas um pouco desesperadas de desviar o assunto.

E então uma comissão do Congresso aprova a possibilidade de igrejas incluírem seus eventos, como missas, na Lei Rouanet, o mecanismo de captação de recursos via renúncia fiscal.

E, curiosamente, muitos dos oportunistas que criticaram duramente – e equivocadamente o mecanismo na campanha eleitoral agora se mostram favoráveis à decisão, sendo que a esmagadoria maioria é de evangélicos.

A Comissão de Cultura da Câmara de Deputados aprovou nesta segunda (4) um projeto de lei que reconhece a música religiosa e eventos promovidos por igrejas como manifestações culturais que podem utilizar mecanismos de fomento via Lei Rouanet.

Segundo o jornal “Folha de S. Paulo”, Trata-se de um texto substitutivo a um projeto de 2015, do deputado Jefferson Campos (PSB-SP). O projeto original pedia o reconhecimento da “música gospel como manifestação cultural”, no âmbito da Lei Rouanet

O relator Vavá Martins (Republicanos-PA), em parecer, pediu a substituição da palavra “gospel” por “religiosa”. A proposta ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania em caráter conclusivo, ou seja, caso aprovada, vai direto para o Senado sem precisar passar pelo plenário da Câmara.

O cinismo e a desfaçatez do grupo conservador que predomina em muitos do Parlamento parece ser a marca do nosso tempo, onde deputados filhos de presidentes flertam abertamente com o autoritaristarismo e contra a democracia – e onde o próprio presidente estimula ataques contra a imprensa e medidas autoritárias com viés de censura.

Não é de hoje que se tenta desvirtuar o propósito da Lei Rouanet por conta de uma série de oportunismos origindos de várias iniciativas ligadas a todos os matizes políticos. Quem não se lembra de artistas famosos buscando algumas “facilidades” via Lei Rouanet para financiar blogs (???) e outras “manifestações do pensamento”?

A diferença é que a vigilância sobre os pedidos e requisições sempre foi grande, e não só pelo acesso ser público, mas por conta de uma sensação geral de que o mecanismo poderia ser uma porta aberta – e rápida – por uma série de picaretagens.

Assim, as análises, as liberações e a fiscalização dentro do Ministério da Cultura se tornaram mais rigidas desde o governo de Fernando Henrique Cardoso, em 1995, o que não quer dizer que críticas não ocorressem.

O cantor Gilberto Gil foi um dos alvos quando submeteu o “projeto” de uma turnê nacional para captar recursos. De forma errônea, muitos acreditam que a Lei Rouanet é um mecanismo que beneficiaria somente artistas underground e com pouco acesso a financiamentos diversos.

Na campanha eleitoral de 2018, a Lei Rouanet serviu de “arma” dos políticos conservadores, geralmente os da pior estirpe e sempre ancorados em discurso religioso acintoso, para atacar adversários políticos progressistas e de esquerda.

Políticos que se tornaram assessores diretos do presidente Jair Bolsonaro nunca cansaram de vomitar que a Lei Rouanet era uma “mamata” e “um poço de irregularidades”.

Por isso é ensurdecedor o silêncio diante da aprovação, na comissão, da inclusão de “atividades religiosas” no escopo da Lei Rouanet além dos CDs, DVDs, livros e filmes gospels.

O texto permite a possibilidade de que eventos diversos também possam se aproveitar do mecanismo, como missas, cultos e marchas para Jesus ou para quem quer que seja, em uma iniciativa dirigida e orientada para beneficiar um monte de seitas.

Dessa forma, o cerco conservador à soecidade continua e o avanço das forças retrógradas segue a sua marcha de aparelhamento estatal e da vida pública para implantar a sua agenda medieval e autoritária.

]]>
0
Notas roqueiras: Noturnall, Exequator, Impiety… http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/11/notas-roqueiras-noturnall-exeuator-impiety/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/11/notas-roqueiras-noturnall-exeuator-impiety/#respond Mon, 11 Nov 2019 23:52:30 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29071

– A banda Noturnall estará em turnê pelo Brasil ao lado do baterista Mike Portnoy, ex-integrante do lendário Dream Theater. Uma das apresentações acontece em Curitiba, dia 14 de novembro, véspera de feriado, no Espaço Cult, região central da cidade. Além da dupla, haverá participação especial do ex-vocalista da Angra, a maior banda de Metal do Brasil, Edu Falaschi. O show na capital paranaense é realização da Mosh ProductionsO Noturnall ao lado de Mike farão um repertório especial com músicas do Dream Theater. Músicas de outra ex-banda do baterista, o Adrenaline Mob, também serão tocadas. Vale lembrar que o guitarrista do Noturnall, o americano Mike Orlando, também toca nesse grupo. Uma homenagem ao Pantera também está no script. Ao lado de Falaschi, o Noturnall prestará uma grande homenagem ao maestro André Matos, músico que nos deixou esse ano.

SERVIÇO

Noturnall + Mike Portnoy e Edu Falaschi em Curitiba

Data: 14 de Novembro de 2019 (quinta-feira, véspera de feriado)

Local: Espaço Cult

Endereço: R. Dr. Claudino dos Santos, 72 – São Francisco

Horário: a partir de 20h

Ingressos: a partir de R$ 50 (meia/promo)

– A banda Exequator é composta por Adso Crespo e Julian Pinho (guitarras), Lucas Ollé (baixo), Gean Cunha (bateria) e Robson Lacerda (vocais), time que acaba de lançar seu primeiro single, intitulado “Puppets”, o qual traz consigo um videoclipe em reta final de produção com previsão de lançamento para início de novembro. Segundo o guitarrista Adso Crespo, “nosso single serve não somente para oficializar o nome da banda para o cenário Metal brasileiro, mas também para mostrar que, mesmo estando realmente “longe demais das capitais”, a banda segue buscando espaço com uma sonoridade autêntica que retrata intrinsecamente a luta em ser resistência em meio a um cenário obsoleto do interior do estado”. Ouça “Puppets” no Spotify: https://spoti.fi/2MKwaPE

– Na semana que vem começa a tour dos asiáticos do Impiety na América Latina. A banda fará sua primeira visita aos continentes norte e sul-americanos, onde fará shows conjuntos com o NervoChaos – que estará em sua “Latin America Ablaze 2019”. O Impiety foi formado em 1990, em Bedock Central, Singapura – na verdade surgiram em 1988, com o nome de Sexfago, nome que usaram até 1990. Eles possuem 8 álbuns, 5 EP’s, diversos splits e 2 álbuns ao vivo. O mais recente lançamento é a compilação “Extreme Noize Attack Vol. 1”, onde aparecem ao lado das bandas Disharmonic Orchestra, Master, Morbosidad, Hate Legions e Voracious Scorge, que foi lançado em novembro de 2018. O Impiety aparece com um cover de “Goddes Of Perversity” do Blasphemy.

]]>
0
Programa Combate Rock – Porão do Rock, Raul Seixas, Walter Franco e Ameslari http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/11/programa-combate-rock-porao-do-rock-raul-seixas-walter-franco-e-ameslari/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2019/11/11/programa-combate-rock-porao-do-rock-raul-seixas-walter-franco-e-ameslari/#respond Mon, 11 Nov 2019 17:06:40 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=29215 Sem nenhum tipo de planejamento, este programa está dedicado somente a artistas brasileiros!

Dead Fish no Porão do Rock (foto: Maurício Gaia)

No primeiro bloco, falamos sobre o Porão do Rock, festival que aconteceu em Brasília nos dias 25 e 26 de outubro e que o Combate Rock cobriu. Os principais destaques foram Ratos de Porão, Raimundos, Dead Fish, Rincon Sapiência e Criolo.

Também discutimos sobre a polêmica envolvendo o livro “Raul Seixas: Não diga que a canção está perdida”, de Jotabê Medeiros. No livro, o autor afirma que a suspeita de que Raul Seixas tenha entregue Paulo Coelho ao DOPS tenha sido a razão do afastamento entre os dois.


Ainda nos anos 70, falamos sobre a obra do genial Walter Franco, morto na semana passada.

Para terminar, uma entrevista com Ameslari, cantor e compositor de Ribeirão Preto, que está lançando seu primeiro álbum.

Clique no player e divirta-se!

]]>
0