Combate Rock http://combaterock.blogosfera.uol.com.br O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Mon, 27 Mar 2017 00:36:32 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Notas roqueiras: Patria, Underhate… http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/26/notas-roqueiras-patria-underhate/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/26/notas-roqueiras-patria-underhate/#respond Mon, 27 Mar 2017 00:36:32 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=16173

Patria (FOTO: DIVULGAÇÃO)

– Com o prestigio de ter lançado ótimos trabalhos como “Hymns of Victory and Death” (2009), “Gloria Nox Aeterna” (2010), “Sovereign Misanthropy” (2010), “Liturgia Haeresis” (2011), “Divide et Impera” (2013), Nihil Est Monastica (2013) e “Individualism” (2014), o Patria, grupo de black metal de Carlos Barbosa (RS) conquistou a atenção do público, principalmente após incendiar o tradicional festival norueguês Inferno, em 2015. Triumphsword (vocal), Mantus (guitarra), Ristow (guitarra), WS Vulkan (baixo) e Abyssius (bateria) apresentaram lyric video para “Heartless” e “Axis”, singles do novo álbum “Magna Adversia”. Este trabalho foi lançado em CD, LP e formato digital pelo selo holandês Soulseller Records. No Brasil, o material será licenciado em CD digipack pela Heavy Metal Rock. As duas composições dispõem de personalidade impar, trazem a tradicional sonoridade crua, ríspida e agressiva que consagrou o grupo brasileiro, mas o clima denso, adicionado a algumas passagens mais técnicas e melodias soturnas, dão um toque de elegância, bem como mais diversificado tecnicamente. Confira “Axis”: https://www.youtube.com/watch?v=sml93vjVejw. Confira “Heartless”: https://www.youtube.com/watch?v=tyqD5b_f75k. O Patria vai aproveitar a oportunidade para fazer os shows de lançamento de “Magna Adversia” em duas ocasiões especiais. O grupo se apresentará em São Paulo (24/03 – Clash Club) e Rio de Janeiro (26/03 – Teatro Odisseia) como special guest do Tsjuder, um dos principais representantes da segunda onda do black metal norueguês, que anunciou oficialmente a sua tão aguardada primeira turnê pela América Latina. Além disso, o quinteto ainda vai dividir o palco com os noruegueses do Borknagar, no dia 28 de março, em Santiago, no Chile.

Serviço São Paulo

Bandas convidadas: Patria (RS) e Justabeli (SP)
Data: sexta-feira, 24 de Março de 2017
Local: Clash Club
End: Rua Barra Funda, 969 (próximo ao Metrô Palmeiras-Barra Funda)
Hora: 18h (open doors) | Justabeli: 19h | Patria: 20h | Tsjuder: 21h
Imprensa: press@theultimatemusic.com | 11 964.197.206
Evento Fb: https://www.facebook.com/events/1207956192621392
Classificação etária: Censura: 14 Anos.
Duração: Aproximadamente 180 minutos
Estacionamento: nas imediações (sem convênio)
Estrutura: acesso para deficientes, área para fumantes e enfermaria

SETORES / PREÇOS (2º lote)
PISTA: R$ 90,00 (meia-entrada*) | R$ 100,00 (promocional*) | R$ 140,00 (inteira)
CAMAROTE: R$ 140,00 (meia/promocional*)
*doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia-entrada

PONTOS DE VENDA: Galeria do Rock (Hunter Records e Mutilation Records)

COMPRA PELA INTERNET – http://www.clubedoingresso.com/tsjuder
*Consulte o ponto de venda mais próximo em http://www.clubedoingresso.com/ondecomprar.

Serviço Rio de Janeiro
Cronos Entertaiment orgulhosamente apresenta Tsjuder pela 1° vez no Brasil e na América Latina!
Special Guest: Patria (RS)

Data: domingo, 26 de Março de 2017
Local: Teatro Odisseia
End: Av. Mem de Sá, 66
Hora: 18h (open doors) | Patria: 20h | Tsjuder: 21h
Imprensa: press@theultimatemusic.com | 11 964.197.206
Evento Fb: https://www.facebook.com/events/103574480130857
Classificação etária: Censura: 14 Anos.
Duração: Aproximadamente 180 minutos
Estacionamento: nas imediações (sem convênio)
Estrutura: acesso para deficientes, área para fumantes e enfermaria

SETORES / PREÇOS
PISTA: R$ 70,00 (meia-entrada*) | R$ 80,00 (promocional*) | R$ 140,00 (inteira)
CAMAROTE: R$ 140,00 (meia/promocional*)
*doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia-entrada).

COMPRA PELA INTERNET – http://www.clubedoingresso.com/tsuder-rj
*Consulte o ponto de venda mais próximo em http://www.clubedoingresso.com/ondecomprar.

– A banda Underhate finalizou todo o processo de gravação do seu vindouro debut álbum. O material, que ainda não possui título definido, será lançado pela MS Metal Records em 2017. “Saudações, Galera! Finalmente a banda tem orgulho em informar que as gravações de nosso debut terminaram! Já estamos com quase tudo pronto! Título escolhido, track list selecionado e arte em final de produção. A partir de então, pouco a pouco liberaremos todas as informações sobre o processo e as novidades do lançamento. Bastante material virá por aí.  Estamos muito orgulhosos do nosso trabalho, o fizemos com muito carinho e com a absoluta certeza de que entregaremos o que há de melhor nesta salada de talentos que forma a banda.
Gostaríamos de agradecer a todos os amigos e familiares que nos apoiaram e nos ajudaram a enfrentar as intempéries que permearam a construção deste nosso sonho. Um enorme obrigado também ao nosso produtor Caio Duarte e ao Broadband Studio, que fez e está fazendo um trabalho sensacional”.

]]>
0
Weezer divulga música ‘Feels Like Summer’, que estará presente em novo álbum http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/26/weezer-divulga-musica-feels-like-summer-que-estara-presente-em-novo-album/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/26/weezer-divulga-musica-feels-like-summer-que-estara-presente-em-novo-album/#respond Sun, 26 Mar 2017 19:00:51 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=16437 Do site Roque Reverso

Weezer (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Quem está com novidade na área é o Weezer. Nesta quinta-feira, 16 de março, o grupo norte-americano divulgou por meio de vídeo no YouTube a música “Feels Like Summer”.

É uma amostra do novo disco que a banda pretende lançar no verão norte-americano, que corresponde ao inverno no Hemisfério Sul.

A faixa estará disponível para audição nas principais plataformas, como o Spotify e Apple Music.

O vídeo conta com direção de Greg Yagolnitzer e Brendan Walter. A animação ficou por conta de Greg Yagolnitzer.

Quem ouve “Feels Like Summer” nota que o Weezer tende a trazer um som diferente do verificado no disco “Weezer”, que foi lançado em 2016 e trouxe uma sonoridade que lembrou muito a dos primeiros e elogiados álbuns da carreira.

]]>
0
Depeche Mode toca em São Paulo nesta segunda-feira http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/26/depeche-mode-toca-em-sao-paulo-nesta-segunda-feira/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/26/depeche-mode-toca-em-sao-paulo-nesta-segunda-feira/#respond Sun, 26 Mar 2017 10:34:39 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=16493 Do site Roque Reverso

Depeche Mode (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Banda com grande número de fãs no Brasil, o Depeche Mode voltará ao País em 2018 depois de 24 anos de ausência. O grupo britânico tocará em São Paulo no dia 27 de março do próximo ano no Allianz Parque, a Arena do Palmeiras.

Apesar do Allianz Parque ter capacidade em shows para um público de cerca de 50 mil pessoas, o cartaz da apresentação do Depeche Mode em São Paulo indica que o evento será realizado no modelo anfiteatro, que faz o local ter capacidade para 12 mil pessoas.

A vinda do Depeche Mode faz parte da Global Spirit Tour, que divulga o 14º álbum de estúdio da banda. “Spirit” foi lançado em 17 de março e sucedeu “Delta Machine”, de 2013.

A turnê mundial começará com um show no dia 5 de maio em Estocolmo, na Suécia. Depois de passar no restante do ano no continente europeu e pela América do Norte, a banda começará a pena latino-americana em março de 2018.

Antes de chegar a São Paulo, o Depeche tocará na Cidade do México (11 de março), Bogotá (16), Lima (18), Santiago do Chile (21) e Buenos Aires (24).

A apresentação brasileira tem organização da Move Concerts e faz parte da plataforma Live Music Rocks, que conta com o patrocínio do Banco do Brasil e Budweiser. Até meados de 2018 toda a plataforma de shows Live Music Rocks levará a assinatura do Banco do Brasil, que oferecerá benefícios exclusivos e especiais aos seus clientes portadores do
Ourocard.

Entre os principais estão as pré-vendas exclusivas, desconto de 50% para compra de ingressos na função crédito (limitado ao estoque), condições diferenciadas de parcelamento, além da possibilidade de troca de pontos Livelo por ingressos com preços reduzidos, limitado ao estoque. O Ourocard é o cartão oficial da plataforma e a Cielo, a
credenciadora oficial.

A venda de ingressos para o show no Allianz Parque começarão para o público geral em 20 de abril de 2017. Clientes do Banco do Brasil com cartão Ourocard têm acesso à pré-venda exclusiva a partir do dia 17 de abril. As entradas podem ser adquiridas por meio do site da Livepass.

Os valores de primeiro lote para os ingressos inteiros são os seguintes: Budzone Pista Premium (R$ 620,00); Pista (R$ 320,00); Cadeira Nível 1 (R$ 460,00); e Cadeira Superior (R$ 240,00).

No dia 9 de fevereiro, o Depeche Mode lançou o clipe para a música “Where’s the Revolution”, que foi o primeiro single do novo disco.

]]>
0
Doctor Pheabes, patrocínio e a lógica dos negócios em grandes festivais http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/25/doctor-pheabes-patrocinio-e-a-logica-dos-negocios-em-grandes-festivais/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/25/doctor-pheabes-patrocinio-e-a-logica-dos-negocios-em-grandes-festivais/#respond Sat, 25 Mar 2017 19:00:25 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=16498 Marcelo Moreira

Doctor Pheabes (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Uma banda com músicos experientes, que fazem um trabalho bom, mas sem grandes arroubos de qualidade e originalidade – e com apenas dois CDs no currículo. Então como um grupo com esse currículo magro consegue ser escalado para Lollapalooza e Rock in Rio?

A polêmica se instalou com a publicação oportuna de um texto no portal G1 contando a história do quarteto de hard rock Doctor Pheabes, de São Paulo, formado por empresários bem-sucedidos com idades entre 44 e 50 anos de idade – bem longe, portanto, daquela história de apoiar “bandas novas” e iniciantes.

A banda desvendou o mistério sem se esconder em meias palavras ou eufemismo: dois dos integrantes criaram e administram o plano de saúde Prevent Senior, um dos mais relevantes do Brasil. A empresa não só patrocina os dois eventos como presta serviços médicos.

“Se acham que tocamos nos festivais só porque patrocinamos, é uma verdade. Tá bom. Qual banda deveria estar no nosso lugar?”, diz o vocalista Eduardo Parrilo na entrevista ao G1. Clique aqui e leia o texto na íntegra.

Foi o que bastou para os roqueiros de todos os matizes caíssem de pau em cima dos roqueiros “vendidos” e dos festivais com “cartas marcadas”, com privilégios aos “mesmos de sempre”.

Os protestos têm sua razão de ser, por um lado, e nem tanto, por outro. Não é muito bacana saber que um artista foi escalado em dois festivais internacionais gigantes apenas por questões financeiras – pagaram ou patrocinaram o evento. Onde entra o critério meritocracia e a qualidade do espetáculo?

Apesar do desafio de Parrilo, é possível elencar pelo menos 40 bandas brasileiras que poderiam estar no lugar da Doctor Pheabes – e certamente incluo o Doctor Pheabes neste grupo.

É um grupo com qualidades, com boas músicas e integrantes afiados, que tocam muito bem. Não estão deslocados nos dois casts e sua presença não é nenhum absurdo. Não farão feio, pelo contrário.

A questão que se discute é outra: como ficam centenas de outros artistas de qualidade que sequer terão a mínima condição de passar pelo crivo dos organizadores? Será que os dois festivais um mudarão os critérios de escolha do elenco ou abrirão mais espaço para bandas novas, inciantes e de boa qualidade.

Por outro lado, Lollapalooza e Rock in Rio são organizações internacionais imensas que movimentam milhões de dólares em sua organização, gerando outros milhões em negócios. Não fazem eventos para perder dinheiro.

Por isso é que Metallica, Iron Maiden e Guns N’Roses são artistas praticamente residentes nestes festivais, garantindo arrecadação e excelente público.

A escalação do Doctor Pheabes seria um agrado um parceiro fiel, que está há algum tempo na lista de patrocinadores? E se for, há algo de errado nisso?

Não, nada de errado. Os donos do Lolla e do Rock in Rio escalam quem quiser sem a necessidade de dar satisfações. E certamente não estão ligando para as manifestações negativas por conta do Doctor Pheabes.

Admitindo que houvesse ingenuidade, será mesmo que isso importa? Será mesmo que em todas as edições anteriores não houve casos semelhantes? E o que dizer daqueles que reclamam da onipresença do Sepultura no Rock in Rio, que tocou em todas as edições nacionais, menos na primeira?

Não vejo com bons olhos a escalação do Doctor Pheabes do jeito que ocorrer, mas não é o fim do mundo. Lamento por muitas outras bandas terem ficado de fora, e não exatamente por conta da confirmação do quarteto paulistano.

A lógica dos negócios, infelizmente, não permite indulgências, ingenuidades e caridade. Portanto, que siga o jogo – e que o Doctor Pheabes, boa banda que é, honre as oportunidades e se divirta bastante em boas apresentações.

 

]]>
0
Lollapalooza se consolida e se torna fundamental para mercado em São Paulo http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/25/lollapalooza-se-consolida-e-se-torna-fundamental-para-mercado-em-sao-paulo/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/25/lollapalooza-se-consolida-e-se-torna-fundamental-para-mercado-em-sao-paulo/#respond Sat, 25 Mar 2017 10:01:08 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=16496 Marcelo Moreira, com informações do site Roque Reverso

A inclusão de medalhões no Lollapalooza, como Metallica, amenizou, de certa forma, um pouco da birra que que tinha em relação aos artistas escolhidos.

É evidente que a escalação sempre seguiu uma orientação um pouco mais “alternativa” desde o seu começo, com o incansável Perry Farell (ex-Jane’s Addiction) organizando e tomando conta de tudo.

Também em São Paulo o Lolla assumiu o seu perfil alternativo, atraindo um outro tipo de público, escalando bandas, em sua maioria, de gosto e qualidade duvidosos e questionáveis. E nem vem o caso aqui discutir qual o motivo de a organização ter flexibilizado as regras e contratando bandas gigantes – e de metal – como Metallica.

O que pretendemos aqui é reconhecer a importância e a grandiosidade do festival, independente dos artistas escalados. A crise econômica pegou forte o cenário musical, que apresenta problemas desde 2015, mas o Lolla está firme e forte.

Incrustado definitivamente na programação cultural e musical de São Paulo e do Brasil, o festival marcou pontos valiosíssimos ao abrir espaço para artistas locais em ascensão e de qualidade reconhecida, ainda que tenham certas esquisitices e sejam “alternativos” demais.

Baianasystem, The Outs, Suticato e Bratislava são exemplos de uma boa curadoria, reconhecendo o bom momento destes artistas e seus méritos para participar de um evento internacional de grande porte.

As birras já desapareceram, tanto é que estive em duas edições – e gostei do que vi, tanto musicalmente como em termos de organização. Neste ano, as melhoraram muito o que já era bom com o Metallica, apesar dos fracos The Strokes, The xx e The 1975.

Programação

O Metallica tocará às 21 horas do sábado, dia 25 de março, e a banda The Strokes se apresentará às 20h30 do domingo, dia 26.

Os dois grupos são headliners do festival e tocarão no Palco Skol, que costuma ficar localizado num espaço de grande capacidade de público. A previsão é de que o show do Metallica tenha 2 horas de duração e que o dos Strokes, 1h30.

Além deles, outros nomes na condição de headliners são The xx,  The Chainsmokers, The Weeknd e Martin Garrix. Os dois primeiros tocam no sábado e os demais no domingo, todos também com horários já definidos e palcos diferentes.

O Lollapalooza 2017 acontecerá no mesmo local das edições recentes: o Autódromo de Interlagos, na cidade de São Paulo.

Outras atrações serão Duran Duran, Rancid e Cage the Elephant. O primeiro toca no domingo às 16h30, no Palco Onix. Os outros dois tocam no sábado: o Rancid vai se apresentar às 18h35 no mesmo palco do Metallica, assim como o Cage the Elephant, que tocará às 16h25.

Veja quem mais toca:  Flume, Two Door Cinema Club, The 1975, G-Eazy, Tove Lo, Melanie Martinez, Criolo, MØ, Oliver Heldens, Nervo, Marshmello, Catfisch and the Bottlemen, Vintage Culture, Céu, Glass Animas, Illusionize, Tegan and Sara, Tchami, Don Diablo, Chemical Surf, Vance Joy, Suricato, Borgore, Victor Ruiz, Bob moses, Jaloo, Haikaiss, Silversun Pickups, Griz, Daniel Groove, Baianasystem, Gabriel Boni, Ricci, Doctor Pheabes, Bratislava e The Outs.

Os preços já são conhecidos para três tipos de ingresso. O Lolla Pass, que dá direito aos dois dias do festival, já está no segundo lote e a entrada inteira sai por R$ 920,00.

O Lolla Day, que dá direito a um único dia do festival, também está no segundo lote e custa R$ 590,00, na versão inteira. Há também a opção do Lolla Lounge. O Lolla Lounge Pass (2 dias de festival) custa R$ 1.460,00 (meia) e o Lolla Lounge Day (1 dia de festival) custa R$ 820,00 (meia).

Os ingressos estão disponíveis no site http://www.lollapaloozabr.com e em vários pontos de venda do País. A bilheteria oficial é a do Citibank Hall São Paulo, onde não é cobrada a taxa de conveniência.

Na compra online, são aceitos os cartões de crédito Mastercard, American Express, Elo Crédito, Visa, Diners Club e Hipercard. Poderá ser feito o parcelamento em até 3 vezes. Já na bilheteria oficial e nos pontos de venda, o ingresso poderá ser pago com todas as opções acima e também com dinheiro, cartões de débito Visa Electron, MasterCard débito, Elo Débito e Hipercard.

Pulseiras

Uma novidade de 2017 é que não haverá ingressos físicos ou e-ticket. O acesso ao festival será por meio de uma pulseira exclusiva com tecnologia RFID. Além de garantir a entrada no Autódromo, ela também será usada para compra de alimentos e bebidas (Chef’Stage, Food Trucks, bares e ambulantes cadastrados) e demais serviços disponíveis no Lollapalooza, como o Lolla Lounge.

As pulseiras estão sendo distribuídas desde o dia 25 de fevereiro de 2017, exatamente um mês antes do festival. Quem fez a compra pela internet recebeu um e-mail comunicando onde poderá retirá-las. Também havia a opção de recebê-la em casa, caso esta facilidade fosse escolhida na hora da compra.

Quem comprou na bilheteria oficial do Citibank Hall São Paulo ou nos pontos de venda espalhados pelo País ganhou um voucher para retirar a pulseira a partir do dia 25 de fevereiro. Nesses dois casos específicos, não existi a opção de envio da pulseira para a casa do fã.

Após o recebimento das pulseiras, há um link exclusivo no site do Lollapalooza Brasil para validação da mesma. No site também será possível carregá-la com créditos para uso no evento. Caso o cliente queira inserir novos créditos durante o festival, haverá pontos de recarga próximos aos locais de consumo, em que será possível carregar as pulseiras utilizando dinheiro, cartão de débito e cartão de crédito.

A organização do festival promete cinco palcos com distância apropriada, garantindo “a máxima qualidade de som”, e mais de 50 horas de música ininterruptas numa de área de 600 mil metros quadrados do Autódromo de Interlagos.

A edição de 2017 será a sexta consecutiva do Lollapalooza no Brasil e a quarta seguida no mesmo local.

O primeiro Lollapalooza no Brasil aconteceu em 2012, quando a grande atração foi o ótimo show do Foo Fighters. Em 2013, o festival contou com apresentações memoráveis do Queens of The Stone Age e do Pearl Jam. Em 2014, também ficaram marcadas apresentações como as do Soundgarden, New Order e do Arcade Fire.

Em 2015, para quem gosta de rock n’ roll, o festival teve uma menor oferta do estilo que em anos anteriores. Com um grande avanço de atrações dançantes e mais pops, alguns dos melhores shows do rock foram os do lendário Robert Plant e do Smashing Pumpkins.

Em 2016, o rock foi um pouco mais prestigiado e recuperou parte do terreno perdido no ano anterior. Entre os vários shows bacanas do Lolla, mereceram maior destaque os do Alabama Shakes, de Noel Gallagher, do Tame Impala, do Bad Religion e de Florence and The Machine.

Na ocasião, segundo os organizadores, 170 mil pessoas estiveram no festival em dois dias nos 600 mil m² no Autódromo de Interlagos. Foram 54 atrações musicais e 60 horas de música ininterruptas.

]]>
0
Notas roqueiras: Blackdome, Estranhos Romântico, Ed Possari, Suit & Bones, Bardos… http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/24/notas-roqueiras-blackdome-estranhos-romantico-ed-possari-suit-bones-bardos/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/24/notas-roqueiras-blackdome-estranhos-romantico-ed-possari-suit-bones-bardos/#respond Fri, 24 Mar 2017 19:19:12 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=15877 FOTO: DIVULGAÇÃO

FOTO: DIVULGAÇÃO

– A banda Blackdome lançou recentemente o vídeo da música “Surrogates”, que faz parte do track list do seu debut álbum “The Chaos Suite”. O primeiro álbum, intitulado “The Chaos Suite”, foi lançado através da MS Metal Records, com distribuição da Voice Music para lojas especializadas e megastores do país, além de contar com a CD Baby para sua distribuição em âmbito digital.

– “Lobo Mau” é o novo single dos Estranhos Românticos, que será acompanhado por um clipe estrelado pelo bailarino-lobisomem Danilo Camassutt (da Companhia de Dança Deborah Colker) e a atriz-Chapeuzinho Vermelho punk tropical Mariana Baldan. O quarto clipe do disco dos Estranhos Românticos, dirigido por Luciano Cian (também tecladista da banda, ex-VJ do Los Hermanos, artista do Fuso Coletivo e diretor de clipes de Picassos Falsos, Mauro Sta. Cecília, entre outros), será lançado logo após o carnaval. Veja aqui outro clipe do grupo, ‘Um Sabotador’, uma produção trash-cômica onde eles incorporam o ‘Monstro da Lagoa Negra’, que está na capa do seu CD, produzido por JR Tostoi – https://www.youtube.com/watch?v=NL0pX5dmm3k.

Ed Possari lançou um EP com 7 faixas que foi gravado no estúdio da Busic Produções, com produção de Andria Busic (ex-Dr. Sin e atual Banda Busic), que colaborou com a gravação de todos os baixos. Veja o vídeo da música “Boogeyman” – https://www.youtube.com/watch?v=irkQlHEytLk.

– A banda Suit & Bones, de indie-rock, lançou o segundo EP. Composta por quatro integrantes, procura se inspirar no rock britânico atual. porém que divergem dentro da própria proposta rock, tendo refrões marcantes que dão uma sonoridade única a S&B. Escute o som da banda em https://www.youtube.com/watch?v=L8uODQqDCf8&list=PLpNA4bcdgMjDCEr1tF4jK3k0WG5eVAySo e EP “Wasteland” – https://goo.gl/LkYdMl.

– A banda gaúcha Bardos lançou seu primeiro single, intitulado “Paradigmas”. Com um rock setentista e baseado no classic rock e letras em português, o grupo foi ciado em Ajuricaba, no interior do Rio Grande do Sul, e é formado or Jean Bertollo (vocal e guitarra base), Gustavo Moura (guitarra solo e vocal) e Fernando Santos (bateria). Ouça em
https://www.facebook.com/bandabardos/ e https://www.youtube.com/channel/UCyHwHAAaMuDbE-gGSOElaSg.

]]>
0
Pat Travers, o pai do blues pesado, lança excelente CD com show de 1976 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/24/pat-travers-o-pai-do-blues-pesado-lanca-excelente-cd-com-show-de-1976/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/24/pat-travers-o-pai-do-blues-pesado-lanca-excelente-cd-com-show-de-1976/#respond Fri, 24 Mar 2017 09:54:31 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=16254 Marcelo Moreira

O precursor do blues pesado, resvalando no rock – ou mesmo se unindo a ele – chama-se Pat Travers. O guitarrista canadense de 61 anos foi o primeiro a levar o timbre gordo e sujo do rock de garagem para o blues puro, criando uma sonoridade cheia de groove e peso, indo na direção oposta de Jimi Hendrix, seu ídolo.

Há dois anos ele laçou no mercado norte-americano mais dois álbuns ao vivo: “Live at the Iridium NYC” e “Snorthin’ Whiskey at the Warfields: Official Bootleg”, os dois com a Pat Travers Band  – uma da suas três encarnações, sendo as outras duas a carreira solo e o Pat Travers Trio.

Vasculhando os seus arquivos, eis que ele achou uma pérola de 1976: “Live at Rockpalast: Cologne 1976”, gravação de um show feito para o famoso programa de televisão da Alemanha, que já exibiu apresentações de todos os principais astros do rock.

Visceral e pesado, Travers tentava se vender como um artista de hard rock, que estava começando a ficar em alta à época. No entanto, é possível ver os fundamentos de uma carreira fantástica, com quase 30 álbuns em mais de 40 anos de carreira.

O guitarrista, então muito jovem, demonstrava a algumas características que o tornariam famoso sobretudo na Europa: frases velozes, timbre pesado e solos faiscantes.

Travers, ainda no formato trio, destila um repertório ainda imaturo, mas que já apresentava o hit “Boom Boom (Out Go the Lights)”, aqui em uma versão mais boogie e menos acelerada.

Outros destaques são a festiva “Feelin’ Alright”, a pesada “You Don’t Tell Me”, a rápida “Rock’n’Roll Susie” e a emblemática e carismática “Makes No Difference”.

Por enquanto, o CD está à venda somente na Europa e nos Estados Unidos, em CD simples e pacote com CD mais DVD.

Travers ficou conhecido nos anos 80 como um músico que sempre dá a impressão de que está se divertindo o tempo todo gravando e tocando ao vivo. Boa praça e bem relacionado, é admirado por gente como Glenn Hughes (ex-Deep Purple e Black Sabbath) e Brian Howe (ex-Bad Company).

A comparação é grosseira, mas ele foi ontem o que hoje é Joe Bonamassa – a referência atual maior do blues rock mais pesado, legado que capturou de outro mestre canadense da guitarra, Jeff Healey, o ás cego que fazia miséria na steel guitar e no slide – e que morreu de câncer em 2008.

Paixão pelo blues

Patrick Henry Travers decidiu cair no rock em 1966, aos 12 anos, quando assistiu a uma apresentação de Jimi Hendrix em Ottawa, capital canadense. Rapidamente. Caiu na estrada anos depois com o roqueiro Ronnie Hawkins, praticando rockabilly. Aos 20 anos, já um astro local, partiu para Londres e em pouco tempo já tinha banda e um contrato com a Polydor Records.

Seu segundo baterista foi ninguém menos do que Nicko McBrain, hoje no Iron Maiden, que gravou os dois primeiros álbuns, “Pat Travers”  (1976) e “Makin’ Magic” (1977), este último convidados ilustres como Glenn Hughes e o guitarrista Brian Robertson (Thin Lizzy, Motörhead).

Pat_Travers_-_Makin_Magic_-_Front

Nos seus shows, Travers, além de executar as músicas com bastante energia, deixava transparecer ser um cara bem simples, que interagia de forma descontraída com o público. A admiração de Hughes vem dessa época, quando tocou no primeiro álbum solo do baixista, “Play Me Out”, de 1977.

“Makin’ Magic” é a melhor porta de entrada para o universo pesado e revigorante de Pat Travers, cantando e tocando de forma extraordinária. Ouça “Statesboro Blues”, de Willie McTell, que se torna um rock visceral e mostra o guitarrista inspirado, empurado pela insolente e nervosa guitarra de Brian Robertson.

Entretanto, é outra música que se tornou um hino: “Stevie”, uma balada pesada que anos depois serviu de homenagem em vários shows a Stevie Ray Vaughan, morto em agosto de 1990. O solo de guitarra ao final da música é simplesmente fantástico. Merecem destaque também “Hooked on Music” e “What You Mean to Me”.

Aproveite e também vá atrás de “Live! Go for What You Know”, álbum ao vivo de 1979, com um jovem Travers ainda disparando rajadas de fogo em sua guitarra ensandecida.

Pat_Travers_Carmine_Appice_-_House_Of_Blues_Live_-_Front

Outra dica é ir atrás dos três álbuns gravados pelo projeto Travers & Appice,  ao lado do baterista norte-americano Carmine Appice (ex-Vanilla Fudge, Beck, Bogert & Appice, Blue Murder, King Kobra) e do extraterrestre baixista T. M. Stevens. São eles “It Takes a Lot of Ball”, “Bazooka” e “Live at the House of Blues”, que mostram Travers mais roqueiro e bem mais pesado, deixando claro que o guitarrista é o elo perdido entre Joe Bonamassa, Jonny Lang, Eric Gales, Philip Sayce e Jimi Hendrix.

]]>
0
Notas roqueiras: Supla, Matanza, Noway, Cianeto HC… http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/23/notas-roqueiras-supla-noway-cianeto-hc/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/23/notas-roqueiras-supla-noway-cianeto-hc/#respond Thu, 23 Mar 2017 19:00:54 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=16451

Supla (FOTO: DIVULGAÇÃO)

– Supla continua divulgando o seu décimo quarto álbum,  “Diga o que você pensa”.  A música título abre o álbum com uma sonoridade moderna, que reúne todos os seus anos de experiência. Importante dizer que ele e seu produtor Kuaker tocaram todos os instrumentos – exceto na música “Amigo” que tem a participação do guitarrista Eduardo Ardanuy. No dia 24 de março, ele e sua banda, formada por Edgar (bateria), Bruno (guitarra), Baboo (baixo) e Camila Lordy (teclados), tocam no Bar Rock Club (São Bernardo do Campo) o álbum na íntegra e outros hits, como “Charada Brasileiro”, “Japa Girl”, “Humanos” e “Garota de Berlim”. Supla também assina todas as canções, apenas dividindo a parceria nas letras com os amigos Tatiana Prudencio Torrez, Fabio Bopp (autor de vários sucessos do Charada Brasileiro) e a norte-americana Victoria Petrusky. Das 13 músicas autorais, já foram lançados 5 vídeos (Parça da Erva, Diga o Que Você Pensa, Amor Entre Dois Diferentes , Trump Trump Trump e Anarquia Lifestyle) . No ano passado, a versão em inglês de Anarquia Lifestyle entrou na trilha sonora do novo documentário sobre os últimos dias de vida de Sid Vicious (integrante da banda punk Sex Pistols) e sua namorada Nancy Spungen.

Serviço:

Show: Supla

Dia: 24 de março

Abertura: The Lords

Local: Bar Rock Club – Rua José Bonifacio, 90 – Centro – São Bernardo do Campo–SP

Ingressos: R$ 30,00 (promocional)

Venda online: www.ticketbrasil.com.br

Matanza (FOTO: DIVULGAÇÃO)

– O Matanza retorna ao Estado de São Paulo nesta sexta-feira (24 de março) para tocar em Taubaté, no Vale do Paraíba. Desta vez a apresentação será na casa Porca Miséria (Rua Joaquim Tavora,80) e os ingressos podem ser adquiridos por meio do site https://www.ticketplanet.com.br/evento/porca-miseria/506-matanza. O quarteto esteve recentemente na capital onde realizou o seu Matanza Beer Fest em pleno St. Patrick’s Day (Dia de São Patrício, padroeiro da Irlanda e, dizem, dos beberrões). No dia seguinte, o show será em Poços de Caldas (MG), no Rota Club Eventos.

Serviço

Dia: sábado (25)

Horário: 20h

Local: Rota Club Bar Eventos

Tel: (35) 99811-6568

Endereço: Avenida Mansur Fraya, 37704-362 – poços de Caldas – MG

Classificação etária: 18 anos 

Pontos de venda:

Radical Sports (R. Prefeito Chagas, 244, Centro – Poços de Caldas);
Tiagão Tattoo Clinic (R. Prefeito Chagas, 318, loja 10, Centro – Poços de Caldas);
Studio Rock (R. Barão do Campo Místico, 28 – Centro – Poços de Caldas);
Ou através deste link.

Preços:

Inteira – R$80

Meia entrada – R$40

Entrada promocional (levando um quilo de alimento não perecível) – R$40,00

– Diretamente de Teresina, a banda de hardcore Cianeto HC lança o EP ‘Estilhaços’, segundo do quarteto formado por Heitor Matos (vocal), Pablo Vinícius (bateria), Valciãn Calixto (baixo) e Robervan Sousa (guitarra), que em 2016 estreou com ‘Decair’.  Estilhaços possui cinco faixas e um interstício entre a quarta e a quinta música chamado Melô de Chico Porca. “Os meninos gravaram lá um minuto de swingueira, acho que para dar um gelo no ambiente plúmbeo desse nosso segundo lançamento”, conta Heitor. Com isso, o grupo que participa do coletivo Geração TrisTherezina, só reforça o quanto é característico para essa nova turma do Piauí o flerte com diversos ritmos sem preconceito algum, haja visto que no ep Decair, a Cianeto traz um ska e aplicações de funk e reggae.

– A atual gravadora da banda paulista Noway confirmou que o lançamento mundial do seu novo álbum “Challenge”, no formato digital, acontecerá no próximo dia 23 de março (quinta-feira), através da CD-Baby, quando o grupo irá comemorar o aniversário de 3 anos do debut “Rise Of Insanity”. O formato físico do citado trabalho será lançado no primeiro semestre de 2017, através da Eternal Hatred Records, com distribuição da Voice Music para as principais lojas especializadas e megastores do país. “Challenge” contará com nove faixas inéditas, uma bônus exclusiva para o Brasil, e todo o conceito gráfico e artístico recebeu a assinatura de Marcelo Almeida, que já realizou trabalhos similares para as bandas Behavior, The Cross e Malefactor.

]]>
0
Rock in Rio confirma Incubus, Titãs, Pet Shop Boys, Scalene e Walk the Moon http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/23/rock-in-rio-confirma-incubus-titas-pet-shop-boys-scalene-e-walk-the-moon/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/23/rock-in-rio-confirma-incubus-titas-pet-shop-boys-scalene-e-walk-the-moon/#respond Thu, 23 Mar 2017 15:00:16 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=16441 Do site Roque Reverso

FOTO: DIVULGAÇÃO

A organização do Rock in Rio confirmou nesta sexta-feira, 17 de março, mais cinco atrações para o Palco Mundo para a edição de 2017 que será realizada na capital fluminense em setembro. De uma tacada só, foram anunciados os grupos Incubus, Titãs, Pet Shop Boys, Scalene e Walk the Moon.

O norte-americano Incubus e o brasileiro Titãs tocarão na noite mais badalada do festival, a do dia 23 de setembro, quando o palco terá o lendário The Who e o Guns N’ Roses com Axl Rose, Slash e Duff McKagan.

O grupo brasileiro Scalene subirá ao palco no dia 21 de setembro, mesma data que terá o Aerosmith e o cantor Billy Idol.

Os veteranos do pop Pet Shop Boys tocarão no dia 15 de setembro, mesma data que tem Lady Gaga como headliner, o 5 Seconds of Summer e a cantora Ivete Sangalo.

A banda Walk the Moon por sua vez, tocará no dia 17 de setembro, mesma data que tem Justin Timberland e Frejat.

Os anúncios do Rock in Rio aconteceram no mesmo dia que se iniciou uma pré-venda especial de ingressos. Desde as 19 horas desta data até as 19 horas do dia 5 de abril, associados Rock in Rio Club, clientes Itaú Personnalité ou portadores de cartões de crédito Itaucard das categorias Platinum, Black e Infinite poderão comprar ingressos para o Rock in Rio 2017 antecipadamente.

Membros do clube de fidelidade do festival – o Rock in Rio Club – terão direito a uma pré-venda exclusiva e com a garantia de disponibilidade de ingressos para todas as noites do festival.

Participantes da pré-venda Club que efetuarem o pagamento através de qualquer cartão Itaucard desfrutarão de 15% de desconto no valor do ingresso em tarifa inteira e terão a possibilidade de alargar o parcelamento em até 8 vezes sem juros. Os ingressos comprados com cartões que não sejam Itaucard poderão ser parcelados em até 6 vezes sem juros. A pré-venda é limitada a quatro ingressos por dia de evento.

A pré-venda para clientes Itaú também oferece 15% de desconto no valor de face do ingresso, assim como parcelamento em 8 vezes sem juros. Este benefício está sujeito ao estoque de ingressos disponível e é limitada a quatro ingressos por dia de evento ou até dez ingressos no total.

Após 1h47 minutos do início da pré-venda, o lote disponibilizado para o dia 16 de setembro (noite de Maroon 5, Fergie, Shawn Mendes e Skank no Palco Mundo) esgotou. Poucos minutos depois, foi a vez do lote de ingressos para o dia 23, noite histórica com The Who e Gus N’Roses, acabar.

Os organizadores do Rock in Rio definiram o valor final do ingresso para a edição de 2017. O preço definitivo para a entrada inteira é de R$ 455,00 (R$ 227,50 a meia), pouco maior do que os R$ 435,00 do período de venda do Rock in Rio Card em 2016, quando 120 mil ingressos foram vendidos em 1 hora e 58 minutos.

A venda oficial de ingressos para o Rock in Rio 2017 começará no dia 6 de abril, a partir das 19 horas, no site Ingresso.com, canal de vendas oficial do festival desde 2011. Mesmo sendo uma compra exclusivamente online, não há cobrança de taxa de conveniência.

Para clientes que não são Itaú Itaú, o pagamento pode ser feito somente por cartão de crédito, com possibilidade de parcelamento em até 6 vezes sem juros.

Uma novidade importante sobre o Rock in Rio Card é que ele virou uma pulseira com chip que vai garantir o acesso do público a várias atrações na Cidade do Rock. O cliente poderá escolher entre receber a pulseira em casa ou retirar em local definido pela organização do festival.

A entrega em domicílio será feita no endereço indicado no momento da compra, a partir de maio, mediante pagamento da taxa da entrega. Para clientes que optarem pela retirada, a organização do festival adianta que o produto estará disponível a partir de julho de 2017, em local a ser definido, na cidade do Rio de Janeiro. Para estes clientes não será cobrada nenhuma taxa.

Atrações até o momento

O festival será realizado nos dias 15, 16, 17, 21, 22, 23 e 24 de setembro na capital fluminense. Por enquanto, também com algumas confirmações recentes para o Palco Sunset o line-up do evento está assim:

*15 de setembro – 6ª feira
Palco Mundo: Lady Gaga (headliner) / Pet Shop Boys / 5 Seconds of Summer / Ivete Sangalo

*16 de setembro – sábado – 
Palco Mundo: Maroon 5 (headliner) / Fergie / Shawn Mendes / Skank
Palco Sunset: Miguel Convida Emicida / Charles Bradley & His Extraordinairies / Blitz & Alice Caymmi & Davi Moraes

Curta o Roque Reverso no Facebook!!!

*17 de setembro – domingo
Palco Mundo: Justin Timberlake (headliner) / Walk the Moon / Frejat
Palco Sunset: Nile Rodgers &Chic

*21 de setembro – quinta-feira
Palco Mundo: Aerosmith (headliner) / Billy Idol / Scalene
Palco Sunset: Alice Cooper + Arthur Brown

*22 de setembro – sexta-feira
Palco Mundo: Bon Jovi (headliner) / Alter Bridge
Palco Sunset: Ney Matogrosso + Nação Zumbi

*23 de setembro – sábado
Palco Mundo: Guns N’ Roses (headliner) / The Who / Incubus / Titãs
Palco Sunset: Ceelo Green

*24 de setembro – domingo
Palco Mundo: Red Hot Chili Peppers (headliner) / The Offspring
Palco Sunset: Sepultura / Doctor Pheabes + Supla

Local e espaço

A edição de 2017 acontecerá em um local diferente do que vinha acontecendo nos três últimos eventos. Conforme informação dos organizadores divulgada no dia 4 de novembro, o festival será realizado no Parque Olímpico, que recebeu as Olimpíadas e as Paralimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.

Também no dia 7 de fevereiro, os organizadores destacaram que a área nova, além de ser duas vezes mais ampla que o terreno anterior (agora possui cerca de 300 mil metros quadrados) possibilitará acesso por meio de transporte que foi testado com sucesso durante os Jogos Olímpicos 2016, utilizando o Metrô e BRT.

Outras novidades desta edição são a Gourmet Square e a Rock District. A primeira é uma área gastronômica inspirada no famoso Mercado da Ribeira, de Lisboa. O espaço será refrigerado e terá área de mil metros quadrados, com capacidade para 630 pessoas sentadas, além do público circulante, e 14 lojas focadas em gastronomia e na culinária de chefs renomados.

Já a Rock District será construída como um bairro, cheio de estilo, dentro da Cidade do Rock. Neste espaço, haverá a Famestreet e um novo palco onde artistas nacionais vão relembrar grandes sucessos que já passaram pelos palcos do Rock in Rio.

O Rock in Rio Boulevard será uma calçada da fama – como a de Los Angeles – que homenageará grandes artistas do mundo da música. E se o chão será de estrelas, o muro não ficará atrás: muitas celebridades vão deixar suas mãos gravadas no concreto do Rock in Rio Wall of Fame.

]]>
0
São Paulo receberá a aula de história do Grave Digger http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/23/sao-paulo-recebera-a-aula-de-historia-do-grave-digger/ http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2017/03/23/sao-paulo-recebera-a-aula-de-historia-do-grave-digger/#respond Thu, 23 Mar 2017 09:52:09 +0000 http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/?p=16455 Thiago Rahal Mauro – especial para o Combate Rock

*Colaborou Marcelo Moreira

Grave Digger (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Uma verdadeira aula de história. Muitos dos álbuns de rock mergulham tão fundo nos roteiros de seus álbuns, muitos deles conceituais, que suas obras se tornam tão importantes quanto livros.

Isso ocorreu nos anos 70 e ganhou força com a entrada de Bruce Dickinson no Iron Maiden, em 1982 – o vocalista inglês, além de piloto de avião, esgrimista e apresentador de rádio, é formado em história.

A banda alemã Grave Digger, na estrada há 35 anos, também tem uma extensa obra abordando temas históricos dos massis variados e com muita competência – a última ceia de Jesus Cristo (CD “The Last Supper”), a história da Escócia (“Tubes of War”), a história das mitologias grega, germânica e nórdica, entre outros temas bem legais.

E os alemães trarão mais uma vez essa bagagem gigante para uma apresentação em São Paulo – o grupo confirmou sua décima passagem pelo país em 2017, no dia 26 de março, no Carioca Club, em São Paulo.

Este show faz parte da mais nova turnê mundial que Chris “Reaper” Boltendahl (vocal), Axel “Ironfinger” Ritt (guitarra), Jens Becker (baixo), Marcus Kniep (teclado) e Stefan Arnold (bateria) estão preparando para promover o novo álbum “Healed by Metal”, lançado no dia 13 de janeiro via Napalm Records.

Healed By Metal” tem 12 ótimas composições, trazendo todos os predicados para se tornar um dos principais trabalhos da vasta discografia do grupo e bater de frente com os clássicos “Heavy Metal Breakdown” (1984), “Witch Hunter” (1985), “The Reaper” (1993) e superar os resultados de “Return Of The Reaper” (2014).

O Combate Rock conversou com o guitarrista Axel “Ironfinger” Ritt, que comentou detalhes sobre o novo álbum e ansiedade do show no Brasil. Confira!

Combate Rock: Vocês acabam de lançar o novo álbum “Healed by Metal”. Poderia explicar como foi o processo de composição?

Axel “Ironfinger” Ritt: Desta vez, pela primeira vez desde os mais de 20 anos de banda, acabamos numa sala de ensaios, recolhendo todas as ideias e juntá-las, não enviando MP3s no processo de composição.

Combate Rock: Onde “Healed by Metal” foi gravado?

Axel: O álbum foi gravado no Principal Studios e produzido por Jörg Umbreit, mas as guitarras foram gravadas por mim mesmo no Meadow Studios.

Combate Rock: Você trabalhou nestas músicas para vocês mesmos? Como foi este processo?

Axel: Jens (baixista) e eu colecionamos nossas ideias com antecedência para o álbum, e Chris escreveu todas as letras. Então eu fiz a pré-produção para o álbum e como o último passo era a gravação e a mix, ele foi realizado com calma.

Combate Rock: Há um monte de bandas mais jovens criando o metal tradicional hoje em dia, e graças a eles, e também a vocês o estilo continue bastante vivo, embora não tanto como era nos anos 80. Qual é a sua opinião sobre isso?

Axel: Você tem razão, este estilo de música vai viver eternamente. Quando você está tocando ao vivo, você quer apresentar um monte músicas novas, mas as pessoas esperam as coisas mais velhas também.

Combate Rock: Existe alguma música que você está cansado de tocar, ou você ainda gosta de tudo que você apresenta no set list nestes dias?

Axel: Não, quando você tem alguns hits de metal, você tem que dar para as pessoas. Eu não estou cansado em executar músicas como “Heavy Metal Breakdown”, e eu acho que eu nunca vou me cansar delas.

Combate Rock: Você vai se apresentar no Brasil, em São Paulo, mais especificamente. Quais são as suas expectativas?

Axel: Um público muito caloroso e uma festa tremenda durante nosso show. Estamos ansiosos para tocar novamente no Brasil.

Combate Rock: Onde você acha que este álbum está em comparação com o resto de sua carreira? Você acha que é uma continuação do que você estava fazendo recentemente?

Axel: Eu acho que é a essência pura de Grave Digger em si, e um dos meus destaques da minha carreira. Será um grande desafio para o próximo álbum superar este trabalho.

Combate Rock: Você pode adiantar algo do set list de SP?

Axel: Não posso falar muito, mas vamos tocar alguns clássicos antigos, alguns novos e alguns inesperados 🙂

Combate Rock: Para concluir, muito obrigado pela entrevista e pelo seu tempo. Deixe uma mensagem para seus fãs no Brasil.

Axel: Espero vê-lo em um de nossos próximos shows. Gostaria de agradecer aos fãs por nos apoiar sempre e não vamos decepcioná-los nunca!

Serviço São Paulo

Data: domingo, 26 de março de 2017
Local: Carioca Club
End: Rua Cardeal Arcoverde, 2899 (próximo ao Metrô Faria Lima)
Hora: 18h (abertura da casa) | 19h (show time)
Capacidade: 1.500 lugares
Classificação etária: 16 anos. Entre 14-16 anos somente acompanhado por pai ou mãe munidos de documentos.
Duração: Aproximadamente 90 minutos
Estacionamento: nas imediações (sem convênio)
Estrutura: ar condicionado, acesso para deficientes, área para fumantes e enfermaria

SETORES / PREÇOS (1º lote)
PISTA: R$ 100,00 (meia-entrada/promocional*)
CAMAROTE: R$ 170,00 (meia-entrada/promocional*)
*doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia entrada).

Ponto de venda sem taxa de serviços (pagamento em dinheiro): Bilheteria do Carioca Club

COMPRA PELA INTERNEThttp://www.clubedoingresso.com
*Consulte o ponto de venda mais próximo da sua região, no site do Clube do Ingresso.

]]>
0