Combate Rock

Phil Collins traz a nostalgia do pop de qualidade dos anos 80

Combate Rock

24/02/2018 06h59

Marcelo Moreira

Phil Collins é um dos destaques do programa

Todo mundo esperava um dia ver The Who no Brasil e não se falou outra coisa em 2017, além de uma série de grandes shows que aportaram no Brasil. Poucos atentaram para uma nota discreta na coluna de Ancelmo Góes, no jornal O Globo, dando conta de que Phil Collins tinha confirmado ao menos um show no Brasil, em São Paulo.

Era uma bomba, uma daquelas notícias do ano, mas o volume de shows importantes de 2017 eclipsou a repercussão. Um dos nomes mais badalados do rock, naquela pode ser a sua última turnê mundial, viria pela primeira vez ao Brasil como artista solo.

Não bastasse a importância do nome em questão, tem o fato de que o show é de uma qualidade monstruosa, daqueles que costumam ser qualificados como memoráveis. Ou obrigatório.

Collins é dos raros artistas que transcendem os muros entre os subgêneros que compõem (ou compuseram) o rock. De nome intimamente ligado ao Genesis e ao rock progressivo, virou referência no pop em sua carreira solo, ao mesmo tempo em que virou produtor de Eric Clapton e músico de apoio do Led Zeppelin no Live Aid.

Arroz de festa? Pau para toda obra (chegou mesmo a se oferecer para substituir o baterista Keith Moon no Who, em 1979)? Onipresente (foi o único músico que tocou, no mesmo dia, no Live Aid, nos dois palcos, em Londres e na Filadélfia, nos Estados Unidos)?

Ao contrário de muitos medalhões do rock, Collins genuinamente gosta de rock e sente prazer no palco, por mais que a saúde não tenha ajudado muito nos últimos anos. Ele curte mesmo tocar, curte participar de festivais e adora fazer participações especiais nos shows de amigos. O que para uns é um fardo, para ele é a mais pura diversão.

E o que veremos nos dois shows do ex-baterista do Genesis em São Paulo é um privilégio, pois teremos um artista com muita vontade de tocar, em especial em um lugar do mundo onde nunca esteve como artista solo.

Em 1977, com o Genesis, Collins tocou em São Paulo e no Rio de Janeiro, em apresentações concorridas e muito boas, dadas as condições fora do ideal para que uma banda de tal porte tocasse por aqui.

Quem assistiu aos shows memoráveis ficou encantado com a postura de palco do cantor e baterista, com a simplicidade e simpatia demonstradas por ele e pelo genuíno esforço em tentar falar português com o público.

As tentativas foram hilárias, como se pode ouvir nas gravações dos shows, transmitidos ao vivo pela então rádio Globo AM. Fica nítido que Collins é um artista que gosta e se diverte no palco.

Aos 67 anos de idade e driblando os problemas nas costas e demais “obstáculos”, o músico inglês mostra que não perdeu o prumo. Faz um show que pode durar duas horas e meia desfilando uma enormidade de hits e canções que ultrapassam os limites do tempo.

Como vimos na última quinta-feira, no Rio, Phil Collins é sinônimo de show de qualidade e de perseverança. Continua mestre, com disposição invejável e com domínio completo das ações.

As apresentações no Brasil, recheadas de nostalgia, são uma das últimas oportunidades de reviver o pop de qualidade dos anos 80. É o hora de aproveitar o que resta do classic rock enquanto o classic rock ainda existe ao vivo.

 

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Topo