Topo
Combate Rock

Combate Rock

O rock invade os palcos e mostra grande vitalidade no fim de semana

Combate Rock

15/07/2019 06h32

Marcelo Moreira

Parece que muitas preces foram feitas por muito tempo para tivéssemos um final de semana de sonhos para quem gosta de rock em muitos lugares do Brasil, especialmente no Estado de São Paulo, onde muitas cidades investiram em shows gratuitos de grandes bandas nacionais para comemorar o Dia Internacional do Rock. O tempo ajudou e o sol brilhou o tempo todo, com o frio passando longe dos palcos.

Entre as capitais, é evidfente que o destaque foi para a cidadfe de São Paulo, que ofereceu espetáculos ótimos e com boa estrutura com apoio da prefeitura.

Os palcos montados nas imediações da Praça da República foram um grande sucesso, atraindo multidões para os shows gratuitos.

Golpe de Estado encerra seu show na Praça da República, em São Paulo (FOTO: MARCELO MOREIRA)

Na música pesada, o trio gaúcho Krisiun destruiu tudo em uma apresentação curta, mas intensa, com seu death metal demolidor.

Um pouco antes, Edu Falaschi reuniu amigos meio que em cima da hora para desfilar clássicos do rock, indo de Black Sabbath e Deep Purple a hits do hard rock. Diante do inusitado e da correria, mandou muito bem. À tarde, o Golpe deEstado uniu gerações com seu hard rock nostálgico e maravilhoso, além de bastante pesado.

No outro palco, o Ira! conseguiu o memso efeito que o Golpe de Estado e fez um show ótimo, assim como Marina Lima. Supla também agradou bastante, assim como Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá no tributo à Legião Urbana.

Vale destacar a boa infraestrutura e organização dos eventos por conta da Secretaria Municipal de Cultura, organização que também foi boa no evento que reuniu as bandas Dr. Sin e Eyes of Beholder no Jabaquara, na tarde de sábado.

Tarde agradável de metal extremo em São Bernardo (FOTO: MARCELO MOREIRA)

Tarde maravilhosa também em São Bernardo do Campo, no ABC, onde houve um minifestival de heavy metal na Chácara Silvestre, um parque municipal lindo que substituiu o Parque da Juventude Città di Marostica, em reforma, que fica ao lado da prefeitura.

Mesmo sendo um local mais longe e meio fora de mão, o evento que teve o Korzus como atração principal atraiu um bom público, muito melhor do que o registrado em eventos roqueiros recentes realizados na região. É bom ressaltar que havia também outros eventos na Grande São Paulo no mesmo dia, e gratuitos ou com atrações interessantes.

O Korzus, comemorando 35 anos de carreira, fez um show insano, invadindo a noite de domingo, fazendo um o melhor death metal/metal extremo que enlouqueceu a plateia, incluindo uma emocionante homenagem a André Matos, ex-vocalista do Angra e do Shaman, morto no mês passado.

Quem também impressionou no minifestival de São Bernardo foram as bandas Blasthrash, com um som extremo e violento, o Rhegency, que faz um competente prog metal, e os punks/hardcore Grinding Reaction, que deram o tom de protesto político e social o evento.

A Prefeitura de São Bernardo, por meio da Secretaria de Cultura e Juventude, merece elogios pela qualidade da produção do evento e da infraestrutura, algo bacana que vem acontecendo nos últimos eventos roqueiros e de blues nos parques Salvador Arena, da Juventude e Chácara Silvestre.

Banda Rhegency em São Bernardo (FOTO: MARCELO MOREIRA)

Em Araraquara e Botucatu, cidades do interior do Estado, houve eventos que encheram os olhos por conta do grande público e das atrações de peso – o próprio Korzus fez um show memorável na noite de sábado em Araraquara.

Em Botucatu, foram três dias e mais de 30 bandas tocando o melhor do rock underground e transformando a cidade em parada obrigatória para shows de rock no interior do Estado.

Foi um final de semana maravilhoso, mas que teve como grande mote a data, 13 de julho, o Dia Internacional do Rock. Já existem muitos festivais granbdes consolidados, e são vários, mas ainda não são o suficiente para nós do Combate Rock.

É preciso que mais eventos como esses que ocorreram em São Paulo e São Bernardo, por exemplo, ocorram com mais frequência. Isso é possível e não só em datas comemorativas. É muito utópico sonhar com um um minifestival underground desses uma vez por mês em várias cidades do Estado de São Paulo e do Brasil?

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br