Topo
Combate Rock

Combate Rock

A maior das ameaças está cada vez mais se materializando

Combate Rock

13/10/2018 06h44

Marcelo Moreira

FOTO: REPRODUÇÃO INTERNET

Abriram as jaulas, e as feras estão indo com tudo para cima. São vários os relatos de bestialidade dos eleitores do inacreditável e execrável candidato Jair Bolsonaro (PSL).

A barbárie vai das agressões à irmã e à sobrinha da vereadora Marielle Franco (PSOL), do Rio de Janeiro, assassinada em abril, ao assassinato de um artista em Salvador (BA) apenas por esse ter declarado seu voto no PT.

Não são casos isolados. São deliberadamente articulados e incentivados por forças conservadoras extremistas que disseminam o ódio, estimulam a violência e empesteiam a sociedade com seus preconceitos.

É gente que nega direitos fundamentais às minorias e que faz questão de corroer a democracia. Não se viu nenhuma liderança deste partideco de aluguel, o PSL, fazer qualquer declaração condenando a violência e ou as recentes manifestações de intolerância e preconceito contra os nordestinos, que votaram majoritariamente em Fernando Haddad (PT) e Ciro Gomes (PDT).

São tempos difíceis e de trevas, onde o que há de pior na humanidade foi o que recebeu mais votos para deputado estadual e federal em São Paulo, gente que defende a "aniquilação" de adversários políticos que menospreza as minorias.

Para completar o quadro de horror, gente que deveria manifestar maior conhecimento em relação às informações, como artistas e jornalistas, se bandeou para o lado da barbárie.

Como é possível que artistas e jornalistas apoiem gente que fala abertamente em restringir liberdades individuais, de expressão, de opinião e de imprensa – princípios que deveriam ser primordiais para essas pessoas?

Na disputa presidencial do segundo turno, entre Haddad e Bolsonaro, mais do que um referendo sobre a viabilidade política do PT, será a busca de um novo futuro para uma nação fragmentada, carente e profundamente desigual.

Erros do passado de um dos lados não podem servir de motivação para que embarquemos em uma aventura eivada de ódio e ranço fascista.

Ainda há uma chance de que espantarmos e eliminarmos o fantasma extremista de direita que torna péssimo o futuro do país. Ainda dá tempo de neutralizar a ameaça fascista e recuperar um pouco da confiança na democracia e no diálogo.

Roqueiro, metaleiro e punk de extrema-direta? Essas excrescências existem, são perniciosas e também precisam ser neutralizadas. Por isso é fundamental que artistas que prezam a democracia – e que não necessariamente sejam de esquerda – se manifestem e formem uma frente cultural que ajude a barrar o lixo fascista que ameaça a democracia brasileira.

P.S.: Após o término deste texto, mas dois casos gravíssimos foram registrados de agressões e ameaças a pessoas que não se enquadram nos "modelos de cidadãos" preconizados pela turma truculenta e asquerosa que apoia o ex-capitão do Exército.

No Rio Grande do Sul, uma garota foi espancada por usar uma bandeira com alusão ao povo LGBTT+. Os agressores se disseram apoiadores e eleitores de Jair Bolsonaro.

No Rio de Janeiro, uma mulher trans denunciou que foi espancada na rua apenas por ser trans – segundo ela, os agressores gritavam o nome de Bolsonaro.

Resta alguma dúvida sobre o perigo que representa para o Brasil a eleição de Jair Bolsonaro?

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br