Topo
Combate Rock

Combate Rock

Moda de Rock leva a homenagem ao Led Zeppelin para São Paulo

Combate Rock

29/08/2018 07h00

Marcelo Moreira

Ricardo Vignini e Zé Helder, do Moda de Rock (Foto: Divulgação)

O mais ambicioso projeto da dupla Moda de Rock finalmente chega aos palcos paulistanos neste começo do mês de setembro. Composta pelos violeiros Ricardo Vignini e Zé Helder, a dupla Moda de Rock lança no próximo dia 5 de setembro, quarta, às 18h e 21h, no Sesc 24 de Maio o novo álbum "Moda de Rock toca Led Zeppelin", com músicas instrumentais da lendária banda de rock dos anos 70 adaptadas à viola caipira, em formatos inovadores e com participações especiais.

"Por conta dos arranjos mais complicados e da abrangência da nossa proposta, considero esse o nosso álbum mais difícil e ambicioso", diz Vignini, um roqueiro da gema que trocou a guitarra elétrica pela viola caipira e pelo que ele chama de "viola-guitarra".

O trabalho chega ao mercado em formato físico e digital com 15 faixas, sendo que duas incluem vocais pela primeira vez desde o lançamento do primeiro CD em 2011. Ana Deriggi canta "Thank You" ao lado do flautista Zé da Flauta. Zé Helder canta a faixa 'Going to California".

Destacam-se também neste terceiro álbum a viola erudita de Fábio Tagliaferri em "Friends" e "Four Sticks", e Sergio Duarte, na gaita blues em "Black Dog". Há ainda a faixa bônus "Kashmir", gravada ao vivo com participação do percussionista Marcos Suzano.

Ricardo Vignini conta que a escolha do repertório de Led Zeppelin se deu não apenas pela importância da banda na história do rock, mas também pela influência e a inovação trazidas a ele em sua adolescência e a toda sua geração. Cada faixa passou por adaptação feita após extensas pesquisas.

"Por mais que seja evidente que o formato folk está intimamente ligada à música do Led Zeppelin, não necessariamente suas músicas são adaptáveis a um conceito como o nosso. Foram necessárias horas de ensaios e pesquisas para chegarmos a um resultado aceitável", diz Vignini.

"A escolha do repertório do Led Zeppelin para o nosso terceiro CD foi meio óbvia", continua Vignini. "Já que é a banda que nos une na 'unanimidade' em termos de admiração no rock. Quando gravamos e lançamos a música 'Kashmir' o resultado foi excelente, uma repercussão surpreendente".

O músico conta que a ideia de fazer um CD somente de Led Zeppelin "estava na nossa cabeça faz tempo, mas sabíamos que seria um grande desafio, é equivalente a fazer um álbum revisitando a obra do Bach, Paganini, Villa-Lobos. É o nosso trabalho mais complexo, ficamos contentes com o resultado".

Isso explica os motivos pelos quais quase uma dezena de violas foi utilizada, em muitas afinações para reproduzir os clássicos de Led Zeppelin. A obra foi concebida por meio de um projeto via crowdfunding (financiamento coletivo). O lançamento tem o selo Folguedo e distribuição da Tratore.

O projeto Moda de Rock nasceu quase como uma brincadeira. Em 2007, os dois violeiros, também professores, resolveram mostrar o potencial do instrumento para os alunos e ao mesmo tempo reviver a trilha sonora da sua adolescência. A proposta de adaptar versões instrumentais de clássicos do rock para a viola caipira foi bem recebida.

Em 2011, surgia o CD "Moda de Rock – Viola Extrema", que logo conquistou a mídia, foi sucesso de vendas e lotou shows em todas regiões do Brasil, México, EUA, Canadá e Argentina.

Ouvidos acostumados a não relacionar os dois estilos perceberam que o rock no ambiente da viola caipira e o instrumental brasileiro de raiz geraram uma parceria harmoniosa, entre o metal e o acústico. Moda de Rock mostrou a que veio e trouxe gravações de clássicos que incluíram os guitarristas Andreas Kisser (Sepultura), Lúcio Maia (Nação Zumbi), Edgard Scandurra (Ira!), Robertinho de Recife, Pepeu Gomes, Kiko Loureiro (Angra e Megadeth), o percussionista Marcos Suzano e o cantor e compositor Renato Teixeira.

CD Moda de Rock toca Led Zeppelin

Faixa a faixa

Black Dog – A primeira faixa do disco Led Zeppelin IV também é a primeira do novo CD do Moda de Rock, que trouxe a sonoridade da gaita blues de Sergio Duarte.

All My Love – A inovadora eletricidade do acústico que deixava de bom humor os adolescentes, como relata Ricardo Vignini, também foi uma das únicas de John Paul Jones, baixista, em parceria com Robert Plant (vocal e gaita).

Rain Song – Considerada uma das mais bonitas do mundo, pela sua harmonia e sofisticação, vem numa levada tranquila e sussurrada, que lembra a bossa nova.

Friends – Com a viola de arco (erudita) de Fabio Tagliaferri, o rock com influência de uma orquestra indiana recebeu a linguagem rítmica do baião.

Going to California – A primeira faixa a incluir vocal. A voz de Ze Helder, já conhecida em shows ao vivo, dá o tempero a esta música folk acompanhada de violas.

No quarter – A versão da dupla para esta canção, em princípio considerada "patinho feio" do repertório, ganhou, depois de vários estudos, um arranjo que acabou surpreendendo os violeiros.

Immigrant Song – Definida como  "feroz" e uma das mais rápidas do repertório da banda britânica, recebeu uma versão levada com pagode de viola. "Mesmo quem não conhece rock vai gostar e quem resiste à viola, vai começar a gostar", diz Ricardo Vignini.

Tangerine – O uso de uma craviola Giannini na versão original acústica feita por Jimmy Page inspirou e deu destaque à viola caipira.

Good Times – Primeira música do álbum de estreia da banda, sua adaptação ao ambiente caipira brasileiro exigiu muitas experiências ritmicas e instrumentos mais específicos, como a guitarra ressonadora.

Bron – Yr – AUR – Instrumental executada no violão, é uma canção curta que, na versão do Moda do Rock, tem uma levada de viola como solo.

Dancing Days – A melodia lembra a música indiana na versão Moda de Rock a partir do tom da viola cabacita e cítara indiana, em harmonia com as violas.

Thank You – Ana Deriggi "substitui" Robert Plant na suavidade da voz, acompanhada do flautista e instrumentista Zé da Flauta.

Foursticks – Esta faixa ganhou um sotaque indiano e a segunda participação do instrumentista Fabio Tagliaferri no álbum.

D'Yer Mak'er – O reggae da obra original se transformou numa versão que destaca o melhor da tradição de viola caipira.

Kashmir (bônus) – A gravação ao vivo traz o trabalho do percussionista Marcos Suzano no pandeiro.

Serviço:

MODA DE ROCK TOCA LED ZEPPELIN

Data: 5 de setembro (quarta).

Horário: 18h e 21h.
Local: 
Teatro | 1º subsolo (216 lugares).
Ingressos:
 R$ 30 (inteira); R$ 15 (meia: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência); R$9 (credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes). Ingressos à venda a partir de 28/8, às 12h, no portal sescsp.org.br e 29/8, às 17h30, nas bilheterias das unidades da rede Sesc SP. Venda limitada a 4 ingressos por pessoa.
Duração: 
80 minutos.
Classificação etária:
 Livre.

SESC 24 DE MAIO

Rua 24 de Maio, 109, Centro, São Paulo 
Fone: (11) 3350-6300

Horário de funcionamento da unidade

Terça a sábado, das 9h às 21h.
Domingos e feriados, das 9h às 18h.

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br