Topo
Combate Rock

Combate Rock

'Sepultura Endurance' chega às plataformas digitais para locação

Combate Rock

12/07/2018 07h01

Marcelo Moreira

O filme "Sepultura Endurance" chega nesta semana para locação no iTunes, Google Play, Looke, Vivo Play e NOW contará com preços promocionais. "Sepultura Endurance" é o resultado de seis anos do trabalho do diretor Otavio Juliano que acompanhou o Sepultura em turnês pelo mundo.

Foram mais de 800 horas de filmagens em países da América do Norte, Ásia, América do Sul e Europa. A produção do filme é Interface Filmes e a distribuição nos cinemas e nas plataformas digitais é da O2 Play.

Lançado no ano passado em Los Angeles, "Sepultura Endurance" percorreu festivais e chegou até o público brasileiro em uma ação inédita promovida em todas as regiões do País no chamado "Dia Sepultura", que mobilizou fãs nas salas de cinema em junho do ano passado.

O filme conta com diversas entrevistas com nomes como Lars Ulrich, da banda Metallica, David Ellefson, do Megadeth, Phil Campbell, do Motorhead, Scott Ian, do Anthrax, Corey Taylor, do Slipknot, Phil Anselmo, do Pantera/Down entre outros que ajudam a entender a relevância do grupo brasileiro no cenário musical mundial.

Falando da fita em si, ela é importante e frustrante. Aquele deveria ser um documento completo e oficial do Sepultura se tornou uma colcha de retalhos e uma mera colagem de imagens, com um enfileiramento de depoimentos. Por isso é ruim? Não, por incrível que pareça.

"Sepultura Endurance", o documentário que pretendia resumir 33 anos de história da mais importante banda de rock do Brasil, finalmente foi terminado e será lançado em 14 de junho. Infelizmente, ganhou mais notoriedade pelo que deixou de exibir do que realmente pelo conteúdo "oficial".

Com a recusa de Max e Iggor Cavalera em autorizar a inclusão de músicas que os têm como compositores – ou seja, muitas da fase antes de 1996 -, o projeto foi seriamente avariado e quase que perde o sentido.

Entretanto, por talento e habilidade do diretor, Otavio Juliano, o documentário não se tornou irrelevante. É um importante documento, mas ficou muito menor do que deveria ser.

Bem editado e com uma narrativa interessante, "Sepultura Endurance" é um retrato bacana de como uma banda de prestígio internacional conseguiu se reerguer e encontrar novos caminhos depois das turbulências de 21 anos – desde a saída tumultuada de Max Cavalera, em 1996.

Esse é o verdadeiro mote do filme, já que os irmãos Cavalera, inclusive por vias judiciais, torpedearam o projeto inicial de contar toda a trajetória da banda. E aí entra o talento do diretor, que conseguiu redirecionar o roteiro, reformar o conceito e valorizar o Sepultura de hoje.

O resgate de sua importância musical e internacional salta aos olhos como se a obra fosse voltada para a área do empreendedorismo. E por que não?

Os depoimentos de amigos e principalmente do guitarrista Andreas Kisser podem perfeitamente ser interpretados como boas aulas de como empreender, gerenciar crises e dar a volta por cima.

Pode até ser exagero afirmar que o Sepultura se tornou um exemplo artístico e administrativo nos tempos atuais de mercado degradado e depredado, mas é inegável que as soluções encontradas pela banda brasileira servem de incentivo para inúmeros artistas, sejam da música ou de outras áreas.

A decisão dos irmãos Cavalera de não permitir suas músicas é legítima e deve ser respeitada, assim como as recusas em falar ao documentário. No entanto, é mais um exemplo de mesquinhez e de falta de visão estratégica artística e de negócios.

Ainda que as rusgas sejam graves e uma reconciliação, inviável, não faz sentido pisar em cima de um passado glorioso quando este ainda pode render dividendos de várias formas.

Max e Iggor erram quando transformam o passado em arma numa guerra em que todos perdem – um passado que, ao que tudo indica, os dois parecem fazer questão de negar.

Serviço-

"Sepultura Endurance" – veja o trailer https://www.youtube.com/watch?v=kIbEIBE-L0o

Lançamento VOD (Video on Demand) com preços promocionais de locação apenas nesta semana. Confira:

iTunes- disponível para venda por R$ 19,90 e aluguel por R$ 7,90 a partir do dia 9 de julho
Google Play- disponível para venda por R$ 19,90 e aluguel por R$ 7,90 a partir do dia 9 de julho

Looke- disponível para compra por R$ 19,90 e aluguel por R$ 7,90 a partir do dia 12 de julho

NOW- disponível para aluguel por R$ 7,45 a partir do dia 9 de julho

Vivo Play- o preço estará disponível na plataforma a partir do dia 12 de julho

A classificação é livre.

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br