Topo
Combate Rock

Combate Rock

Blues rock do Free comemora 50 anos com CD/DVD ao vivo e compilação

Combate Rock

04/07/2018 06h37

Marcelo Moreira

Ninguém parecia acreditar no que via. E, quando viram, não deram o menor crédito. No dia anterior, naquele esfumaçado e decadente pub da região metropolitana de Londres, ninguém menos do que John Mayall e sua banda se apresentaram por ali – seria uma das últimas aparições do guitarrista Mick Taylor com o decano do blues inglês, pois em breve seria anunciado como substituto der Brian Jones nos Rolling Stones.

E então aquele quarteto de moleques resolve arriscar e mandar ver uma saraivada de clássicos norte-americanos e algumas composições que logo estariam no primeiro disco. Houve silêncio de incredulidade e, ao final do curto set de 50 minutos, os aplausos tomaram conta do ambiente.

Há 50 anos, o quarteto de jovens de não mais de 18 anos ganhava uma plateia existente e muito disposta a afundar qualquer aspirante a músico que não fosse excelente. E o blues britânico ganhava um novo concorrente para Mayall e para o incipiente Fleetwood Mac: a banda Free.

Para comemorar o cinquentenário do surgimento do grupo, um relançamento e um álbum ao vivo relembrar a trajetória de uma das bandas mais instigantes do rock e do blues dos anos 60 e 70, um grupo que revelou o cantor Paul Rodgers, o guitarrista Paul Kossoff (morto precocemente em 1976), o exímio baixista e ótimo compositor Andy Fraser e o discreto e preciso baterista Simon Kirke. Rodgers e Kirke formariam o Bad Company em 1974.

O Free ficou conhecido como o nome que impulsionou o blues rock inglês no final dos anos 60, abrindo caminho para uma infinidade de bandas que pareciam trilhar o mesmo caminho – gente graúda como o Humble Pie, dos ingleses Steve Marriott e Peter Frampton, que gostaram do que viram nos moleques do Free.

Paul Rodgers decidiu iniciar as comemorações do 50 anos de criação do Free – e do verdadeiro início de sua trajetória pessoal no rock – no ano passado, criando uma banda para acompanhá-lo em uma turnê inglesa – e depois europeia – em homenagem a sua primeira banda de sucesso.

"Free Spirit" é o nome do combo CD/DVD que chegou às lojas em junho e traz as principais canções que fizeram do Free uma banda cult nos anos 70 – foram seis álbuns lançados (um ao vivo) diante de uma carreira de cinco anos turbulentos.

Com uma banda afiada e com a voz em dia, um dos melhores artistas de sua geração, elogiadíssimo por gente como Rod Stewart e Glenn Hughes (ex-Deep Purple), Rodgers não fez apenas um show saudosista, como se nfosse um "cover" de si mesmo.

Ele recriou algumas das gemas do repertório do Free com mais suingue e mais peso, e o resultado ficou bom. É bom escutar o blues malicioso de "Stealer", ou a pérola pop "All Right Now" com uma levada um pouco mais acelerada. O que dizer então do blues pesado "Mr. Big" ou da grooveada "Fire and Water"?

A bela e icônica "Wishing Well" também ficou mais pesada, mas também um tanto mais melancólica, assim como a supostamente otimista "My Brother Jake", com sua levada folk pop. Há também algumas novidades, como "Catch a Train" e "Love You So", raridades do Free nunca antes tocada ao vivo.

Em uma entrevista concedida pelo cantor a uma emissora de rádio, que acabou virando um material promocional de "Free Spirit", ele conta que o projeto de reviver as músicas do Free com sua banda solo o fez lembrar de tempos muito difíceis, mas encorajadores.

Na capa do LP 'Fire and Water",a formação clássica do Free: da esq. para a dir., Andy Fraser, Paul Rodgers, Paul Kossoff e Simon Kirke

"Quando eu cheguei a Londres, em 1967, vindo do norte do país, eu tinha três metas: sobreviver, encontrar paz de espírito e de mente e fazer a melhor música que pudesse fazer. Acho que consegui as três coisas e tenho de agradecer pelos meus 50 anos de carreira", afirmou o músico, que completa 68 anos de idade em 2018.

O cinquentenário também tem a reedição em CD do clássico "The Free Story", originalmente uma coletânea lançada em 1973, quando do fim da banda.

Obviamente, é um CD simples, e acabou suplantado pelo tempo pela compilação tripla "Anthology" e pela magistral caixa "Song From Yesterday", com cinco CDs repletos de raridades e faixas inéditas.

No entanto, "The Free Story" é um resumo perfeito da meteórica e briguenta banda de moleques, com 16 músicas que sintetizam o blues rock/hard rock de alta qualidade, que mesclava crueza e uma sonoridade simples embaladas pela guitarra ríspida de Kossoff e pelo baixo grudento e gorduroso de Fraser.

Além das faixas importantes já citadas no ao vivo de Rodgers, há canções importantes como a linda "Get Where I Belong", a potente e messiânica "Travellin' Man" e uma versão ótima ao vivo de "The Hunter", de Muddy Waters.  Até demorou, mas finalmente tempos um filé mignon para comemorar os 50 anos do Free.

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br