Combate Rock

Edu Falaschi celebra a boa fase com Kai Hansen em show especial

Combate Rock

07/12/2017 06h50

Marcelo Moreira

A força do nome Angra move montanhas em época de crise. A banda está para lançar o seu aguardado novo álbum e fez um show recente com vários convidados e em casa cheia. Por que o Angra consegue atrair enorme público em um momento em que casas de shows fecham e bandas das mais variadas continuam a reclamar da falta de público?

O cantor Edu Falaschi vai testar novamente o poder do nome de sua ex-banda em um evento que promete ser o mais importante do rock brasileiro em São Paulo no mês de janeiro.

O músico engatou uma turnê muito bem-sucedida com o tecladista Fábio Laguna e o baterista Aquiles Priester, este seu antigo companheiro no Angra.

A turnê Rebirth of Shadows Tour rodou por várias cidades do Brasil neste ano celebrando as músicas dos álbuns gravados por Falaschi e Priester. Os resultados foram muito bons, com shows abarrotados.

O encerramento da turnê tem ares de “grand finale”, com uma apresentação em São Paulo no dia 21 de janeiro com convidados especiais, um deles internacional.

Kai Hansen, guitarrista e vocalista do Gamma Ray e que esteve recentemente em São Paulo com o Helloween reunido – com a presença também do vocalista Michael Kiske -, é o principal nome do evento que encerrará um período extraordinário na vida artística de Falaschi.

Qual é o poder do Angra em plena crise? “Como é difícil responder essa pergunta. O legado é evidente, com álbuns marcantes e uma performance altíssima em todos os sentidos. O Angra fez e faz parte da vida de muita gente, teve um trabalho diferenciado e de qualidade. É fantástico ter esse reconhecimento por parte do público”, diz o cantor.

Assim como no último show paulista do Angra, com grande quantidade de espectadores mais jovens, Falaschi se empolga ao verificar que a molecada esteve em peso nas suas apresentações pelo país.

“É muito legal ver garotos de 15, 18 anos na plateia acompanhando irmãos mais velhos, primos ou pais e curtindo tanto quanto eles músicas que foram compostas nos anos 2000. Os discos ‘Rebirth’ e ‘Temple of Shadows’ não só mantiveram o nível do trabalho do Angra como deram outro impulso à banda e o impacto em garotos que nasceram nos anos dos lançamentos mostram a importância das obras”, destaca Falaschi.

Além da participação de Kai Hansen, o show também contará com a presença especial da baixista Tonka Raven, da banda Ravenclaw, da Eslováquia, além dos vocalistas e amigos Alirio Netto, Bruno Sutter e Thiago Bianchi (Noturnall), além do irmão, o vocalista e multi-instrumentista Tito Falaschi, e do tecladista Junior Carelli (Noturnall).

Neste show especial em São Paulo, o artista interpretará músicas do Angra dos álbuns “Rebirth”, “Hunters & Prey”, “Temple of Shadows”, “Aurora Consurgens” e “Aqua”, mas com o diferencial de inclusão de músicas ainda não executadas nessa turnê, tais como “The Shadow Hunter”, “Eyes of Christ”, “Ego Painted Grey” e “Unholy Wars”.

Edu Falaschi e Kai Hansen se reencontrarão em janeiro (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Esforço e resultado

É mais do que evidente que o nome Angra atrai atenções, e mais ainda quando o seu segundo vocalista resolve fazer uma turnê solo cantando alguns dos sucessos dos anos 2000.

Entretanto, só isso não explica a correria pelos ingressos da turnê com Priester e Laguna – se assim fosse, a banda de Ricardo Confessori (ex-baterista do Angra) teria obtido o mesmo resultado, o que não ocorreu.

A bem-sucedida turnê é resultado de pelo menos três anos de trabalho árduo e intenso por parte de Falaschi, que colocou seu nome no mercado, seja solo ou com o Almah, como um “ativo bastante confiável”, como se costuma dizer no mercado financeiro.

O cantor esteve com regularidade na estrada e foi muito feliz ao conseguir se estabelecer como um requisitado produtor de bandas de heavy metal, como no caso da banda Age of Artemis, da qual participou o amigo Alirio Netto.

Além disso, também apoiando-se em material do Angra, surpreendeu ao lançar um álbum solo com músicas de sua época, mas com um tratamento diferente e inusitado – acústico e com influência da música erudita.

O trabalho, muito elogiado, chamou-se “Moonlight” e foi lançado em 2016. Logo em seguida viria “E.V.O.”, álbum frenético e forte do Almah, cada vez mais mergulhado no prog metal e provavelmente o melhor da carreira da banda.

“Depois do problemas por que passei entre 2011 e 2012, não pensei duas vezes: tinha de trabalhar bastante para recomeçar a carreira e aprender muito em menos tempo. Muita, mas muita coisa deu certo desde então e, por isso, considero que o show de 21 de janeiro será uma grande celebração. Se eu mereço isso? Direciono a questão para os fãs: são eles que merecem, por me ajudarem a chegar até aqui”, afirma Falaschi.

O cantor faz questão de exaltar a participação do empresário e produtor cultural Eric de Haas, uma das figuras mais influentes do rock internacional. Holandês radicado há quase 30 anos no Brasil, ajudou muito a viabilizar a vinda de Kai Hansen. “Kai é um amigo antigo, sempre mantivemos contato e já tocamos juntos, será um reencontro fascinante.”

Além de Priester e Laguna, tocam na banda também o guitarrista Diogo Mafra e o baixista Raphael Dafras, companheiros de Falaschi no Almah, e o guitarrista sensação da atualidade, Roberto Barros.

A grande celebração do Carioca Club, no dia 21 de janeiro, será o fim de uma maratona de 23 shows por todo o país em apenas 40 dias, em um esquema só visto com frequência na Europa. Por aqui, dentro do rock pesado, somente Sepultura e Angra são capazes de conseguir agenda tão cheia e frenética.

“Claro que é excitante ser capaz de fechar uma agenda tão maravilhosa, mas tento não fazer grandes projeções e conjeturas. A situação não tá fácil, longe disso, mas creio que o desempenho dessa minha turnê com Aquiles e Fábio mostra que é possível batalhar para fazer dar certo e que há espaço para o rock que não seja mainstream. O que não dá é parar de trabalhar e de se esforçar muito”, finaliza Falaschi.

SERVIÇO SÃO PAULO

Banda convidada de Abertura: Acid Tree
Data: 21 de janeiro de 2018 (domingo)
Local: Carioca Club – http://web.cariocaclub.com.br/
End: Rua Cardeal Arcoverde, 2899, Pinheiros – São Paulo – SP
Abertura da casa: 18:00 horas
Show as 20:00 horas
Infoline: 11 3813-4524 / 3813-8598 / Whats 11-98909-7378
Classificação etária: 16 anos.
Estacionamento: locais próximos sem convênio
Estrutura: ar-condicionado, acesso para deficientes, área para fumantes e enfermaria

SETORES/VALORES
– 1º Lote – Pista – Meia-entrada: R$ 60,00
– 1º Lote – Pista – Promocional (doe 1 Kg de alimento não perecível): R$ 60,00
– 1º Lote – Pista – Inteira: R$ 120,00
– 1º Lote – Camarote – Meia-entrada: R$ 120,00
– 1º Lote – Camarote – Promocional (doe 1 Kg de alimento não perecível): R$ 120,00
– 1º Lote – Camarote – Inteira: R$ 240,00

*O ingresso promocional antecipado é válido mediante a entrega de 1 kg de alimento não-perecível na entrada do evento.

# PONTO DE VENDA (sem taxa de conveniência): Carioca Club / Rua Cardeal Arcoverde, 2899, Pinheiros – São Paulo – SP

# COMPRA PELA INTERNET – http://www.clubedoingresso.com/edufalaschirebirthofshadowstour

Formas de Pagamento: dinheiro, cartões de crédito e débito Visa, MasterCard, American Express e Diners Club

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock

Combate Rock

Notas roqueiras: Ipaussu Rock Fest, Monstros do Ula Ula...

– O Ipaussu Rock Fest" teve sua data alterada, o que seria realizado nos dias 11 e 12 de novembro, agora será entre os dias 2 e 3 de dezembro na cidade de Ipaussu/SP. Uma das atrações do VI Ipaussu Rock Fest será a banda One Thousand Dead, da cidade paulista de Agudos. Uma das principais forças da cena Thrash Metal do interior paulista, o quarteto formado por Bruno Rondina (vocais), Vagner Pereira (guitarras), Ricardo Quintanilha (contrabaixo) e Robson Pereira (bateria) estará no festival apresentando as músicas de seu EP de estreia, Infernizando, além de novas composições que estarão presentes no primeiro full-length da banda.Para os dois dias de festival, estão escaladas as seguintes bandas – Sábado, 2 de dezembro: John Wayne, Vandroya, Madame V8, Cavera Trincada, Ozz (Ozzy Osbourne cover), Arkezia, Dark Mind (Cover Metallica), System of A Down (Tributo). Domingo, 3 de dezembro: Nervosa, One Thousand Dead, Haaley Alves, Iron Heads, Dirty Jack (AC/DC cover), Pantera (Tirbuto), Chidren of the Beast (Cover Iron Maiden). O VI Ipaussu Rock Fest será realizado às margens do lago municipal da cidade e a entrada será 1 Kg de alimento não perecível. Além das atrações musicais, haverá praça de alimentação, áreas específicas para camping, para motoclubes e para encontro de carros antigos. Fora isso tudo, estará presente no evento Jason Predador, para aterrorizar todos os presentes no Festival.

Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Topo