PUBLICIDADE
Topo

Combate Rock

Reunião do Helloween reverencia o melhor do metal dos anos 80

Combate Rock

27/10/2017 06h46

Marcelo Moreira

A banda alemã Helloween foi ao inferno algumas vezes, mas parece que nem o diabo os aguentou. Sorte para quem aguentou esperar para ver os pioneiros do power metal em uma turnê que surpreendeu a todos.

Com um ano de antecedência, os alemães decidiram que as mágoas do passado, por hora, ficariam isoladas no fundo da caixa e que a "abóbora", o símbolo do grupo, ressuscitaria para estabelecer a paz – bem, nem tanto, a julgar por algumas declarações.

Os fãs juram que hoje a banda é septeto, com a adição de ex-membros que toparam uma imensa turnê história. O guitarrista e vocalista Kai Hansen, um dos fundadores, e o vocalista Michael Kiske retornam após mais de 25 anos afastados para a "Pumpkins United Tour", que pode ser o pontapé inicial de um retorno também aos estúdios, com material inédito envolvendo os dois.

A turnê mundial deveria começar pelo Brasil, mas os mexicanos insistiram tanto com a promessa de três shows que as datas foram antecipadas.

A notícia de que ícones do metal teriam ex-membros de volta fez com que os ingressos na primeira noite no Brasil, no Espaço das Américas, em São Paulo, neste dia 28 de outubro, tivesse os ingressos esgotados ainda no ano passado. No data, no domingo, 29, foi marcada, com ingressos evaporando igualmente. Em porto alegre, o show será no dia 31.

Para relembrar rapidamente os motivos de esses shows serem históricos: Kai Hansen fundou o grupo no final dos anos 70 com o amigo Piet Sielck, também guitarrista.

No começo dos anos 80, o Helloween teve a adição de Michael Weikath (guitarras) e Markus Grosskopf, além do baterista Ingo Schwichtenberg, e a saída de Sielck.

A banda demorou para engrenar, mas por volta de 1984 começou a ganhar fama local na Alemanha, tendo Hansen como vocalista. No ano seguinte, lançam um EP e um álbum, "Walls of Jericho".

Em 1986, decidiram que precisavam de um vocalista melhor, e acharam um moleque de 17 anos chamado Michael Kiske, que virou referência de cantor extraordinário de heavy metal.

A partir de 1987, gravam as joias da carreira da banda, as duas partes de "Keeper of the Seven Keys", e a partir de então as desavenças tomam conta da banda. Hansen perde a liderança e Weikath toma conta do pedaço.

Hansen sai em 1989 e Kiske, de forma muito menos amigável ainda, em 1993, sendo substituído por Andi Deris, então da banda alemã Pink Cream 69. Em 1995, Schwichetenberg, em depressão, se suicida.

Kai Hansen ficou anos sem falar com os ex-colegas, mas voltou às boas com eles nos anos 2000. Já Kiske passou mais de dez anos longe da música, concedendo pouquíssimas entrevistas – quando falou, atacou Weikath e Grosskopf de forma furiosa, mas poupou Hansen, com quem voltaria a falar e trabalhar por volta de 2005.

Ao longo do século XXI, Hansen fez algumas participações esporádicas em shows do Helloween como convidado, tocando e cantando duas músicas ao final das apresentações.

Entretanto, o guitarrista teve o mérito de ajudar a convencer Kiske a voltar de fato para o heavy metal, seja nos projetos solo ou nas bandas Place Vendome e Unisonic.

Kiske relutava em sequer falar com os integrantes do Helloween, até que, na França, recentemente, esbarrou em Weikath nos bastidores de um festival de metal onde os dois tocariam com suas bandas.

Em entrevista publicada pela revista Roadie Crew, no ano passado, Weikath contou que, meio alcoolizado, abordo Kiske e pediu perdão, seja lá qual fosse o motivo. Educado e descontraído, o cantor disse que perdoava, mas não lembrava o motivo pelo qual deveria perdoá-lo.

Feitas as pazes, Kiske ainda assim precisou ser convencido a aceitar fazer a turnê com o Helloween, ideia dos empresários da banda e apoiada entusiasticamente por Hansen, que ainda lidera a sua banda, o Gamma Ray.

A reunião do Helloween é um evento importante por se tratar de uma das mais rumorosas e atribuladas separações dentro do rock, pois envolvia altíssimos graus de inimizade e ódio – e ainda envolve, pois teve integrante da banda atual que avisou que se recusava a participar de qualquer projeto que envolvesse outros dois ex-integrantes – o guitarrista Roland Grapow e o baterista Uli Kursch.

Sendo assim, os fãs de banda e aqueles que gostam de heavy metal clássico e poer metal têm obrigação de assistir aos shows no Brasil, pois eles podem não se repetir.

Kai Hansen e Michael Kiske são, por enquanto, convidados. A formação atual do Helloween tem Andi Deris nos vocais, os guitarristas Michael Weikath e Sascha Gerstner, o baixista Markus Grosskopf e o baterista Dani Noble.

A possibilidade efetivação dos convidados é grande, assim como a gravação de um álbum com os sete músicos – um single já foi lançado, "Pumpkins United", reunindo todos eles, o que é uma grande esperança.

SERVIÇO SÃO PAULO – SP
Show: HELLOWEEN "Pumpkins United World Tour 2017/2018"
Datas: 28 e 29 de Outubro de 2017.

SOLD OUT

SERVIÇO PORTO ALEGRE – RS
Show: HELLOWEEN "Pumpkins United World Tour 2017/2018"
Data: 31 de Outubro de 2017, Terça-feira, Dia de Halloween.

Horário: Abertura da casa 19h – Início do show: 21h
Local: Pepsi on Stage ( http://www.pepsionstage.com.br )
Endereço: Av. Severo Dullius, 1995, Porto Alegre – RS
Classificação etária: 14 anos
Acesso à deficientes

Ingressos
Pista Premium
1º lote: Promocional R$165,00* / Meia – R$160,00** / Inteira – R$320,00
2º lote: Promocional – R$195,00* / Meia R$190,00** / Inteira – R$380,00
3º lote: Promocional – R$225,00* / Meia R$220,00** / Inteira – R$440,00
* valor reduzido, por promoção, mediante doação de 1kg de alimento não-perecível ou um agasalho (entrega somente na entrada do espetáculo)
**50% de desconto para estudantes, idosos e PNE. Para o benefício da meia-entrada é necessário apresentar comprovação no dia do evento, ao acessar o local do show. Os documentos aceitos como válidos estão determinados no artigo 4º da Lei Estadual 14.612/14.

Pista
1º lote: Promocional R$95,00* / Meia – R$90,00** / Inteira – R$180,00
2º lote: Promocional – R$115,00* / Meia R$110,00** / Inteira – R$220,00
3º lote: Promocional – R$125,00* / Meia R$120,00** / Inteira – R$240,00
* valor reduzido, por promoção, mediante doação de 1kg de alimento não-perecível ou um agasalho (entrega somente na entrada do espetáculo)
**50% de desconto para estudantes, idosos e PNE. Para o benefício da meia-entrada é necessário apresentar comprovação no dia do evento, ao acessar o local do show. Os documentos aceitos como válidos estão determinados no artigo 4º da Lei Estadual 14.612/14.

Mezanino
1º lote: Promocional R$125,00* / Meia – R$120,00** / Inteira – R$240,00
2º lote: Promocional – R$145,00* / Meia R$140,00** / Inteira – R$280,00
3º lote: Promocional – R$165,00* / Meia R$160,00** / Inteira – R$320,00
* valor reduzido, por promoção, mediante doação de 1kg de alimento não-perecível ou um agasalho (entrega somente na entrada do espetáculo)
**50% de desconto para estudantes, idosos e PNE. Para o benefício da meia-entrada é necessário apresentar comprovação no dia do evento, ao acessar o local do show. Os documentos aceitos como válidos estão determinados no artigo 4º da Lei Estadual 14.612/14.

COMPRA PELA INTERNET
Somente através do site da http://www.blueticket.com.br (em até 6x no cartão)

PONTOS DE VENDA
Lojas
SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA:
Youcom – Bourbon Wallig, 3º piso. Fone: (51) 2118-1186

COM TAXA DE CONVENIÊNCIA (R$5,00):
Youcom – Bourbon Ipiranga, 1º piso. Fone: (51) 3204-5210.
Youcom – Shopping Praia de Belas, 3º piso. Fone: (51) 3206-5530.
Youcom – Shopping Iguatemi
Youcom – Barra Shopping, térreo. Fone: (51) 3206-5423.
Youcom – Novo Hamburgo (Av. Nações Unidas, 2001, segundo piso), lojas 2086/2090 | Bairro Rio Branco.
Youcom – Shopping Canoas. Fone (51) 3415-5100
Mil Sons – Rua Coronel Vicente, 434 – Centro. Fone: 51 3226.3088
Mil Sons – Av. Alberto Bins, 366 – Centro. Fone: 51 3228.6619
Mil Sons – Av. Alberto Bins, 554 – Centro. Fone: 51 3224.3200.
*Não nos responsabilizamos por ingressos comprados fora dos pontos de venda oficiais.
*Será expressamente proibida a entrada portando bebidas, alimentos, câmeras fotográficas profissionais, câmeras semi-profissionais e filmadoras de qualquer tipo.

 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br

Blog Combate Rock