PUBLICIDADE
Topo

Gravadora Hellion relança clássicos do ELF, de Ronnie James Dio

Combate Rock

08/07/2017 06h19

Marcelo Moreira

Um aspirante a astro de rock quue vê o tempo passar, apesar dos elogios a sua voz e aos álbuns que gravou com sua banda – que naufragaram em todas as paradas de sucesso.

A história bem que poderia ser a do guitarrista Andy Summers, um astro tardio que só viu o sucesso aos 35 anos de idade com The Police.

Entretanto, a história é a de um gigante do heavy metal que teve reconhecimento também aos 35 anos idade, em 1975, quando foi convencido a entrar na banda solo de Ritchie Blackmore, então recém-saído do Deep Purple.

Quando Ronnie James Dio decidiu transformar o seu ELF em banda de apoio – que depois viria a ser a primeira encarnação do Rainbow – de Blackmore, parecia estar entregando os pontos após quase 20 anos buscando algum sucesso com bandas como The Prophets e muitas outras.

O ELF viria a ser a melhor delas, adentrando os anos 70 com algum prestígio e apoio de alguns selos. Ainda não era o hard rock e o heavy metal pelos quais Dio viria a se consagrar no futuro, mas trazia influências das melhores bandas dos anos 69, como The Who, The Kinks e Rolling Stones, com canções acessíveis, mas de boa qualidade.

E são os álbuns do ELF que a gravadora brasileira Hellion Records irá relançar no mercado brasileiro. "Carolina County Ball" e "Trying To Burn The Sun" são os melhores trabalhos de Dio em sua fase "desconhecida" antes de brilhar no Rainbow e, depois, no Black Sabbath.

"Carolina County Ball" apresenta um extenso texto do jornalista Malcolm Dome, com base em novas entrevistas realizadas com o produtor Roger Glover, o fotógrafo Fin Costello e os companheiros do ELF Mickey Lee Soule e David "Rock" Feinstein.

Produzido por Roger Glover, a banda assinou com a gravadora do Deep Purple "Purple Records" para este álbum e fizeram shows com o Deep Purple em 1974 durante a turnê do álbum "Burn".

"Trying To Burn The Sun" também tem texto de Dome, com base em novas entrevistas realizadas com o produtor Roger Glover, o fotógrafo Fin Costello e os companheiros de banda Mickey Lee Soule e Mark Nauseef.

Originalmente formado por Dio em 1967, enquanto o som psicodélico soava em todos os lados, os músicos do ELF tentaram várias direções até resolveram fazer algo mais direto em 1972, antecipando em parte o hard rock que dominaria aquela primeira metade dos anos 1970.

Depois de descobri-los em sua cidade natal, Roger Glover, do Deep Purple e Ian Paice, levou-os para o estúdio para gravar sua estreia com a gravadora Epic Records.

Para aqueles que esperavam ouvir o hard rock e o heavy metal que tornaram Dio famoso no Rainbow, Black Sabbath e Dio podem ser surpreendidos pelo Rock clássico do ELF.

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br

Blog Combate Rock