Combate Rock

Notas roqueiras: Metalmorphose, Encéfalo, Nuclear Warfare, Bloody…
Comentários Comente

Combate Rock

Da equipe Combate Rock

Metalmorphose (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Metalmorphose (FOTO: DIVULGAÇÃO)

– Mesmo com a agenda apertada pelas finalizações das gravações do novo álbum, o Metalmorphose idealizou um show em homenagem aos 30 anos do lançamento do clássico álbum “Vingança”, do Azul Limão. Além de tocar seus clássicos, a banda vai interpretar algumas das canções mais emblemáticas de seus conterrâneos. “Pra gente é uma honra essa nossa amizade de tantos anos com o Azul Limão e poder homenagear esses caras é ainda mais especial. Sem dúvidas uma das bandas mais importantes do Rock/Metal nacional,” disse a banda em nota. O evento, especial por si só, acontecerá no dia 28 de agosto, próximo domingo, no Calabouço Heavy & Rock Bar.

– O Encéfalo se apresentará junto com a banda alemã Nuclear Warfare neste sábado, 27 de agosto, em Fortaleza. O evento, 4º Gallery Festival, acontece no Teatro da Boca Rica, na Praia de Iracema, e conta também com a presença das bandas Masmorra e Steel Fox. Os ingressos antecipados ainda estão disponíveis, para saber como comprar, visite www.facebook.com/events/721520014655242/. O grupo recentemente iniciou a gravação de seu terceiro álbum. A banda alterna entre o VTM Studio, onde grava as baterias e o estúdio do amigo e produtor, André Noronha. O principal destaque é que este é o primeiro álbum com a nova formação com Henrique Monteiro cuidando do baixo e também dos vocais.

– O Bloody participará de um evento em homenagem ao músico Thiago Withoutliver, que foi guitarrista da banda e faleceu em abril deste ano. O evento, intitulado Barulho da Oca, acontecerá no dia 28 de agosto, na Estação Cultura de Sumaré, cidade perto de Campinas, a partir das 14h. “Este evento foi uma ideia dos brothers Rodrigo, Lilão e Thadeu, como uma forma de manter viva a história e trajetória do Thiagão dentro do underground da nossa região.’’ Comenta o vocalista, Paulo Tuckumantel. “O Thiagão tocou no Bloody entre os anos de 2010 e 2014. Ele participou de todo o processo de composição e gravação do nosso último CD Bloody. Com certeza ele foi um dos responsáveis pela sonoridade deste play”, ressaltou André Tabaja, baixista da banda. “Conheci o Thiagão ainda moleque dos tempos de Loira´s Bar, onde a gente tocava na calçada do bar, nós com o Bloody e ele ainda como baixista no Killer Factory. Praticamente toda sexta-feira à noite a gente ia pra lá e curtia um DVD, trocava ideia e tomava umas brejas. Sempre foi um cara extremamente dedicado à música. Ele procurava trazer uma sonoridade diferente ao som, algo mais modermo. Sem falar no caráter e coração enorme que ele tinha. Este show vai ser uma merecida homenagem a ele’’, completa o guitarrista Fábio Bloody. Além do Bloody, mais cinco bandas em que Thiagão fez parte tocarão no evento. A entrada será 1 Kg de alimento não perecível que será doado à entidade Vicentinos.


Coldplay lança clipe da música ‘Head Full of Dreams’
Comentários Comente

Combate Rock

Do site Roque Reverso

Coldplay (FOTO: DIVULGAÇÃO/TIME 4 FUN/CAMILA CARA)

Coldplay (FOTO: DIVULGAÇÃO/TIME 4 FUN/CAMILA CARA)

O Coldplay lançou no dia 19 de agosto o clipe da música “Head Full Of Dreams”. É a faixa-título do disco que chegou aos fãs em dezembro do ano passado e produziu vários novos hits do grupo britânico.

O clipe foi filmado na Cidade do México em agosto de 2016.

A direção é de James Marcus Haney, que já conduziu, por exemplo, o vídeo da faixa “Birds”, do mesmo álbum.

A música “Head Full Of Dreams” é a quarta a contar com clipe deste novo disco. Além do vídeo de “Birds”, houve clipes para a faixa “Adventure Of A Lifetime”e a ótima “Hymn For The Weekend”.

Todas essas músicas citadas estiveram presentes no repertório que o Coldplay trouxe ao Brasil.

A turnê passou pelo Rio de Janeiro e por São Paulo e, na capital paulista, a apresentação realizada no Allianz Parque, a nova arena do Palmeiras, mostrou que a banda ratificou sua condição atual de grupo top do mainstream.

“Head Full Of Dreams”é o sétimo álbum do Coldplay. Sucedeu “Ghost Stories”, que foi lançado em 2014 e que não teve o mesmo impacto do elogiado disco “Mylo Xyloto”, de 2011.

Tags : Coldplay


Notas roqueiras: A.N.I.E, The Headcutters, Gus Nascimento…
Comentários Comente

Combate Rock

Da equipe Combate Rock

Junior Carelli (esq.) e Fernando Quesada, do projeto A.N.I.E. (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Junior Carelli (esq.) e Fernando Quesada, do projeto A.N.I.E. (FOTO: DIVULGAÇÃO)

– O projeto Anie, liderado por Fernando Quesada (violão e vocal) e Juninho Carelli (teclado e vocal), acaba de disponibilizar uma homenagem para a banda Avantasia, que é liderada pelo vocalista Tobias Sammet (Edguy). A música escolhida pela Anie foi “Lost In Space”, originalmente gravada pelo Avantasia no álbum “The Scarecrow”, de 2008. A história da Anie com o Avantasia começou quando o tecladista Juninho Carelli trabalhou com a Foggy Filmes na gravação do DVD e videoclipe do Avantasia, em São Paulo. Juninho ficou bastante amigo de Tobias Sammet e resolveu prestar uma homenagem ao vocalista com a música “Lost In Space”, uma de suas favoritas do Avantasia. “Tive o prazer de participar com a Foggy Filmes da gravação do videoclipe da Draconian Love e de um possível novo DVD do Avantasia. Isso me instigou a conversar com o Fernando Quesada de fazer uma versão do Avantasia no projeto Anie, pois nós vivemos isso e acredito que conseguiríamos fazer uma versão muito bonita. Essa é uma homenagem nossa para o Tobias Sammet, que é um visionário e o cara que idealizou a Metal Opera mais rentável e importante no mercado musical”, disse Juninho Carelli. “Ouvi muito o projeto Avantasia e tenho como influência para as minhas composições. É um prazer poder fazer uma versão desse grande projeto!”, disse o baixista Fernando Quesada, mas que na Anie canta e toca violão de 12 cordas. Veja o vídeo de “Lost In Space”: https://youtu.be/orhgrAk0VpY.

headcut

– A banda catarinense de blues The Headcutters fará uma turnê por várias unidades do Sesc no interior de São Paulo neste mês de agosto. O grupo lançou “Walkin' in USA'' no finzinho de 2015, e tem uma sonoridade ímpar. Além disso, teve a ousadia de passar um período na Califórnia gravando com um mestre do gênero, o guitarrista e vocalista Jon Atkinson. A parceria deu muito certo. Gravado no estúdio La Mesa, Atkinson gravou, produziu, tocou guitarra, compô e cantou em “Walkin' in USA''. A sonoridade vintage do álbum deve muito a ele, assim como a performance matadora na gaita e nos vocais de Joe Marhofer, o frontman da banda.

– O vocalista Gus Nascimento acaba de lançar o videoclipe da música “Hello Again”, faixa do álbum acústico “You’ll Remember”, que teve a produção assinada por Fernando Quesada (Noturnall, Anie, Shaman). A música “Hello Again” foi introduzida de última hora antes das gravações começarem e acabou se tornando a faixa que encerra o álbum. “Ela era apenas uma base de violão”, disse Gus Nascimento. Durante a estadia em Tulsa, a melodia da voz apareceu, e Gus decidiu coloca-la em seu novo trabalho. “Só faltava a letra, a melodia do violão pedia algo significativo pra mim, então eu sentei com um caderno no restaurante do hotel na hora do café algumas horas antes de ir pro estúdio. Era como se a letra estivesse pronta”, relembrou Gus. Gus e Quesada então decidiram gravar sem interferência de softwears ou outros arranjos. “Foi a primeira vez que gravei em um take só, até o metrônomo vazou um pouco, mas eu achei que combinou e deixei (risos)”, explicou. O videoclipe foi produzido e dirigido por Rafael Avancini, com a direção de fotografia Gustavo Vargas, operação de câmera e edição Leandro Flores e a maquiagem foi realizada por Maya Rove. Assista o videoclipe de “Hello Again”: https://youtu.be/XRRFwgolXJY


Público ignora evento, e minifestival anual corre risco de acabar no ABC
Comentários Comente

Combate Rock

Marcelo Moreira

Heaviest enfrentou a chuva e o frio intenso em São Bernardo (FOTO: MARCELO MOREIRA)

Heaviest enfrentou a chuva e o frio intenso em São Bernardo (FOTO: MARCELO MOREIRA)

O frio glacial, com vento e chuva intermitente, ajudaram a espantar o público, mas as bandas que encararam a dura tarefa de subir ao palco do Parque da Juventude Città di Marostica, em São Bernardo do Campo (ABC, na Grande São Paulo), no último domingo, não mereciam o desprezo dos roqueiros locais.

Era o terceiro dia de comemorações do aniversário da cidade – 463 anos em 20 de agosto -, e a ideia era tentar repetir os bons públicos dos dias anteriores, dedicados aos rap e ao reggae.

No entanto, as seis bandas tocaram para ninguém. Um dos músicos chegou a brincar, no momento de chuva forte e vento gelado, no início da noite, que seria um “ensaio a céu aberto''.

Os shows do Lixo Suburbano e do DZK contaram com um público mais disposto a curtir um punk rock autêntico, mas não eram mais do que 200 pessoas assistindo aos dois shows.

Quando a banda Heaviest, de heavy metal tradicional subiu ao palco, os termômetros marcavam 9°C às 18h, mas com sensação térmica de 5°C. E não adiantou ao excelente Mario Pastore, o vocal da banda, se esforçar e mostrar sua imensa qualidade como cantor. O público já era bem menor.

Mesmo gratuito, o minifestival de punk rock e heavy metal já tradicional em agosto ganhou o desprezo e a indiferença dos roqueiros da Grande São Paulo, apesar de ser o último dia dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e com rodada importante do Campeonato Brasileiro de Futebol.

Além da Heaviest, tocaram as bandas Letall, Lixo Suburbano, DZK, Rhino e Cranial Crusher. O Lixo Suburbano ainda conseguiu agitar a galera com um punk honesto e simples, mas com muita energia. Foram 14 músicas em pouco mais de 40 minutos, com destaque para as ótimas “Sobreviventes'', “Escravidão'', “Mundo Novo'', “Repressão'' e “Grito Periférico''.

DZK ainda conseguiu reunir algum público no final da tarde de domingo, em São Bernardo (FOTO: MARCELO MOREIRA)

DZK ainda conseguiu reunir algum público no final da tarde de domingo, em São Bernardo (FOTO: MARCELO MOREIRA)

O DZK, com seus mais de 30 anos de punk cascudo, teve mais dificuldades para segurar a galera, mas o vocalista Barata, um dos mais competentes frontmen do rock paulista, deu conta do recado e agradou bastante, em especial com “Morador de Rua'' e “Decadência Social''.

Ao Heaviest, infelizmente, coube a sina de fazer o ensaio a céu aberto, embora tenho feito o melhor show do dia. Prestes a embarcar para a Argentina, o quinteto, com apenas um ano de carreira, já demonstra excelentes qualidades no palco.

Os poucos felizardos que se mantiveram em pé no frio puderam ouvir a excepcional voz de Mario Pastore, hoje um dos cinco melhores vocalistas do Brasil. Com seu som pesado e moderno, o grupo Heaviest tocou poucas músicas, mas foi um massacre sonoro, com destaque a pesadíssima “Nowhere'', a cadenciada “Land of Sin'' e a enigmática “Betrayal''.

Infelizmente, já era voz corrente entre membros da equipe técnica e de suporte da prefeitura que o baixíssimo público do domingo, o dia do rock, do punk e do metal, levaria a uma reavaliação para o próximo ano a respeito de dedicar um dia ao gênero nas comemorações do aniversário da cidade. Os roqueiros paulistas correm o risco de perder uma excelente oportunidade de curtir, de graça, shows bem legais e necessários.


Exposição Beatlemania Experience começa em SP no dia 24 de agosto
Comentários Comente

Combate Rock

Do site Roque Reverso

beatlemania-experience

Começa na cidade de São Paulo, no dia 24 de agosto, a inédita exposição Beatlemania Experience. O evento, que promete fazer uma imersão completa na carreira dos Beatles, será realizado no Shopping Eldorado, zona oeste da capital, em um espaço com mais de 2.000 metros quadrados.

Segundo os organizadores, não se trata de apenas mais uma exposição com memorabilia, itens raros e imagens da carreira da banda mais importante da história.

Ela obviamente traz isso na programação, mas o objetivo é aproveitar momentos mais importantes da biografia de John, Paul, George e Ringo, valendo-se de elementos capazes de levá-los a uma viagem no tempo e espaço.

Dentro de uma tenda com mais de 2.000 metros quadrados, serão montadas 10 alas principais e outras transitórias, nas quais serão recriados momentos decisivos da história dos Beatles. Réplicas de roupas e instrumentos, memorabilia, capas de revistas e jornais da época, muitas fotos inéditas, filmes, vídeos e totens interativos são alguns dos elementos presentes.

Entre as várias surpresas que serão vistas na Beatlemania Experiences, os organizadores vão recriar o show da carreira da banda que ocorreu em 1965 nos EUA, no Shea Stadium, em Nova York, que contou com mais de 50 mil pessoas, recorde para um show musical na época. Essa apresentação será trazida na exposição por meio de um filme de realidade virtual, que conduzirá os visitantes ao melhor assento do estádio e os fará se sentirem na plateia daquela empolgante performance, uma das mais mitológicas de todos os tempos.

O filme “Yellow Submarine” será revivido em uma odisseia em 4D. Nela, os visitantes serão conduzidos dentro de um submarino lúdico a atravessar inebriantes mares imaginários.

Também a apresentação de 1969 no topo do prédio que era a sede da gravadora Apple será recriada. Outros exemplos imperdíveis serão as alas que representarão o lendário Cavern Club, onde eles tocaram 292 vezes na antevéspera do estouro mundial, as apresentações na TV americana, as turnês mundiais e os estúdios de Abbey Road.

Além dos vídeos, fotos, textos e totens interativos, a exposição terá em alguns dias as apresentações da All You Need Is Love, considerada uma das melhores bandas tributo dos Beatles.

A curadoria da exposição ficou a cargo do jornalista Ricardo Alexandre, a arquitetura por Vasco Caldeira (Artifício Arquitetura Exposições), a produção por Case Imagine e a cenografia por Gaia. Serão mais de 200 profissionais trabalhando para concretizar o evento.

Os ingressos estão à venda com preços a partir de R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia-entrada) nas bilheterias do Tom Brasil ou pela Ingresso Rápido. Há também um pacote VIP, no valor de R$ 200, 00, que terá camiseta, CD e pôster.

Tags : Beatles


Notas roqueiras: La Raza, Dalton Santos, psicodelia brasileira…
Comentários Comente

Combate Rock

Da equipe Combate Rock

bento1

Capa do livro Lindo Sonho Delirante

– O jornalista, pesquisador e colecionador de discos Bento Araujo, editor da revista poeira Zine, acaba de lançar uma campanha de financiamento coletivo (crowdfunding) para viabilizar o seu primeiro livro, Lindo Sonho Delirante: 100 discos psicodélicos do Brasil (1968-1975). O livro é uma celebração à música psicodélica e inventiva produzida no país – uma autêntica antropofagia tropical. O objetivo é manter viva a história da música psicodélica brasileira e finalmente mostrá-la ao mundo, já que a ideia é publicar a obra em português e em inglês. Para preparar o livro, Bento Araujo passou mais de um ano reouvindo, analisando, compilando, contextualizando e resenhando os cem (100) álbuns e compactos psicodélicos que mudaram para sempre a música feita no Brasil e na América do Sul. O autor também garimpou histórias, curiosidades e informações inéditas sobre um dos períodos mais incríveis e inspirados, porém ainda absurdamente negligenciados, da música brasileira. Para saber mais sobre a campanha e se tornar um apoiador do projeto, acesse www.catarse.me/lsd.

– A banda La Raza se apresenta no dia 7 agosto no Goiânia Noise Festival, um dos festivais mais representativos e emblemáticos do país. O festival chega a sua 22ª edição em três dias de evento que acontecem entre os dias 5 e 7 de Agosto no Centro Cultural Oscar Niemeyer, na capital de Goiás. Representando o rock paulistano, o La Raza chega ao Goiânia Noise Festival sob muita expectativa após as explosivas apresentações abrindo pra banda norte-americana Limp Bizkit e como a banda escolhido para encerrar a edição brasileira do Go Skate Day 2016. Sepultura, Cpm22, Matanza e BNegão & Os Seletores de Frequência são alguns dos nomes que também se apresentarão no festival que ainda conta com uma programação que inclui palestras e debates entre os dias 1º e 4, na Vila Cultural Cora Coralina

– Dalton Santos, acaba de lançar mais um vídeo do “Brazilian Rock Fusion”, ao lado dos integrantes do Angra, Felipe Andreolli (baixo) e Bruno Valverde (bateria). Os vídeos foram gravados em março deste ano, em um concorrido workshop realizado no EM&T, em São Paulo. Na ocasião, promoveram o terceiro disco de Dallton Santos, ‘The Inner Things’, lançado no final de 2015.O músico lançou o vídeo da terceira música, “Deep”. Assista aqui: https://youtu.be/mLH4jA4XGUI. “The Inner Things” é o terceiro trabalho instrumental de Dallton Santos, e é um disco que mostra de forma precisa várias composições que navegam sobre as influências do jazz, rock, e música brasileira, cheio personalidade e criatividade, resultando em uma sonoridade bastante peculiar, que vem atraindo a atenção de entusiastas da música não só no Brasil, como também, do exterior. Os discos anteriores, “Art In Motion” (2006) e “Virtual Fusion” (2011), arrebataram excelentes críticas da mídia especializada, assim como reconhecimento e respeito de inúmeros músicos daqui e do exterior.

 


Um dos maiores gaitistas da história, Toots Thielemans morre aos 94 anos
Comentários Comente

Combate Rock

Marcelo Moreira

Toots Thielemans (FOTO: JOS KNAEPEN/SITE OFICIAL)

Toots Thielemans (FOTO: JOS KNAEPEN/SITE OFICIAL)

Era jazz, mas poderia ser qualquer coisa. O belga Toots Thielemans só não curtia muito o rock, mas, se precisasse, lá estava ele com sua gaita cromática pronto para ajudar – e engrandecer qualquer canção.

Muitos o comparam ao francês Sthéphane Grapelli, o ás do violino morto em 1997 que escolheu o jazz para se expressar, mas que era tão versátil que até mesmo o Pink Floyd requisitou os seus serviços, em 1974.

O gaitista Thielemans, que morreu nesta segunda-feira, aos 94 anos, em sua Bélgica natal, era capaz de passear tranquilamente pelo jazz, pelo blues e por uma gama inacreditável de gêneros da world music – não foi à toa que se apaixonou pela música brasileira.

De todos os instrumentistas europeus dedicados ao jazz, era o considerado o especialista em melodia. Seus fraseados bem elaborados e seu domínio completo do espectro harmônico o transformaram em um solista privilegiado, que ao mesmo tempo intrigavam e encantavam seus admiradores nos Estados Unidos.

Seus desempenhos em relação à música brasileira eram elogiados até mesmo por músicos pouco chegados ao jazz. Apaixonado por samba, chorinho e bossa nova, trabalhou com quase todos os maiores nomes nacionais – ficou famosa nos anos 70 uma apresentação ao vivo na TV brasileira onde o mestre da gaita cromática toca com Elis Regina – com quem fez o importante disco “Elis & Toots'', em 1969, com canções como “Wave'' e “Aquarerla do Brasil''.

Também gravou com Astrud Gilberto e  Sivuca. Na década de 1990, regravou clássicos da música brasileira no disco “The Brazil Project'' (1992). 

Toots Thielemans acompanhou pela Europa lendas do jazz como Charlie Parker, Ella Fitzgerald e Miles Davis, além de alguns nomes do blues. Suas atuações foram tão marcantes que lhe conferiram status de solista quando tocava com os gênios do outro lado do oceano Atlântico.

Curiosamente, Thielemans começou a tocar a gaita como um hobby e jamais pensou em se tornar um músico profissional.  Outra curiosidade é que foi “contaminado'' pelo vírus jazz durante a ocupação alemã, na II Guerra Mundial, justamente quando os nazistas tentavam, sme sucesso, proibir e repelir o gênero musical norte-americano.

O ponto alto de sua incipiente carreira no pós-guerra foi quando se juntou à turnê da orquestra do norte-americano Benny Goodman, na Europa, em 1950. Seu maior sucesso é “Bluesette'', de 1962, conhecida pelo assovio e guitarra tocadas em uníssono – aliás, também era considerado um bom guitarrista, tendo recebido elogios de ninguém menos do que o compatriota Django Reinhardt, um dos mestres da guitarra cigana e jazzística da Europa.

 

 

 


Produtora define Engenhão como o local do show do Guns N’ Roses no Rio
Comentários Comente

Combate Rock

Do site Roque Reverso

guns1

A Mercury Concerts definiu o Estádio do Engenhão como o local do show que o Guns N’ Roses realizará no dia 15 de novembro no Rio de Janeiro. A confirmação foi anunciada pela produtora nesta sexta-feira, 19 de agosto.

Além do local, os fãs também ficaram sabendo os preços dos ingressos e as datas do início de vendas. As informações sobre o show no Rio eram os únicos detalhes que faltavam em relação à turnê que a banda norte-americana de hard rock fará no Brasil no penúltimo mês de 2016.

Além dos shows na capital fluminense, o Guns tem apresentações em outras quatro capitais: Porto Alegre, São Paulo, Curitiba e Brasília.

Na capital gaúcha, a banda se apresentará no dia 8 de novembro no Beira-Rio.

Em São Paulo, o Guns tem show marcado para os dias 11 e 12 de novembro no Allianz Parque, a nova arena do Palmeiras. Em Curitiba, vai se apresentar no dia 17 na Pedreira Paulo Leminski. Em Brasília, a banda vai tocar no Estádio Nacional Mané Garrincha no dia 20.

Os ingressos para o show no Rio de Janeiro estarão disponíveis no site http://www.ingressorapido.com.br a partir do primeiro minuto do dia 25 de agosto. E nos pontos de venda oficiais no mesmo dia. A pré-venda exclusiva para o fã-clube será a partir do primeiro minuto de dia 24 de agosto, de quarta para quinta-feira, e terá a duração de 24 horas.

Os preços para a entrada inteira são os seguintes: Pista Premium (R$ 680,00), Pista (R$360,00), Cadeira Inferior Leste e Oeste (R$ 420,00) e Cadeira Superior Leste e Oeste (R$ 280,00).

O local de venda sem taxa de conveniência é o Teatro Nathalia Timberg. Ele está localizado na Avenida das Américas, 2000 – Barra da Tijuca.

Uma vantagem para amenizar o preço salgado é o parcelamento. Os ingressos podem ser parcelados em até 4 vezes sem juros no cartão de crédito.

Para o show de Porto Alegre, a venda de ingressos online está sendo efetuada pela Blueticket (www.blueticket.com.br). Sem taxa de serviço, a bilheteria oficial é a Hits Shopping Iguatemi.

Os valores para a capital gaúcha de entrada inteira são os seguintes: Pista Premium Lote I (R$ 600,00), Pista Premium Lote II (R$ 650,00), Pista Lote I (R$ 300,00), Pista Lote II (R$ 330,00),
Pista Lote III (R$ 360,00), Pista Lote IV (R$ 390,00), Camarotes (R$ 700,00), Cadeira Inferior Lote I (R$ 400,00), Cadeira Inferior Lote II (R$ 440,00), Cadeira Inferior Lote III (R$ 470,00), Cadeira Superior Lote I (R$ 190,00), Cadeira Superior Lote II (R$ 220,00) e Cadeira Superior Lote III (R$ 250,00).

Os preços para a capital paulista de entrada inteira são os seguintes: Pista Premium (R$ 780,00), Pista (R$390,00), Cadeira Inferior (R$ 550,00) e Cadeira Superior (R$ 290,00). As vendas são feitas pelo site Ingresso Rápido e pela bilheteria da arena alviverde.

Para o show em Curitiba, a venda de ingressos online é feita também pela Blueticket (www.blueticket.com.br). Sem taxa de serviço, a bilheteria oficial é a Multisom Centro Curitiba (Rua Marechal Deodoro, 222 , Centro).

Os preços para a capital paranaense de meia-entrada são os seguintes: Pista Premium Lote 1 (R$ 540,00), Pista Premium Lote 2 (R$ 610,00), Pista Lote 1 (R$ 240,00), Pista Lote 2 (R$ 265,00) e Pista Lote 3 (R$ 290,00).

Para o show em Brasília, a venda de ingressos online será efetuada pela Eventim (www.eventim.com.br). Sem taxa de serviço, a bilheteria oficial é a Central de Ingressos (SCN Quadra 5
Bloco A, 2º Subsolo 
Brasília Shopping).

Os preços para a capital federal de meia-entrada são os seguintes: Pista Premium Lote I (R$ 520,00), Pista Premium Lote II (R$ 540,00), Pista Lote I (R$ 300,00), Pista Lote II (R$ 350,00), Camarotes (R$ 600,00), Cadeiras Inferior Lote I (R$ 250,00), Cadeiras Inferior Lote II (R$ 300,00), Cadeira VIP (R$ 400,00), Cadeira Superior Lote I (R$ 180,00), Cadeira Superior Lote II (R$ 210,00) e Cadeira Superior Lote III (R$ 230,00).

O Guns já veio inúmeras vezes ao Brasil, tanto para shows de turnê própria como nas várias oportunidades que participou do Rock in Rio. A passagem do Guns pelo território nacional em 2016 vem, no entanto, com um atrativo mais do que espetacular, já que a turnê marca o reencontro de três nomes da formação clássica: Axl Rose, que nunca saiu da banda, o grande guitarrista Slash e o ótimo baixista Duff McKagan.

Os shows da banda vêm arrastando multidões. Mais recentemente, como mostrou aqui o Roque Reverso, o baterista da formação original, Steven Adler, participou de algumas apresentações, aumentando ainda mais o grau de importância da turnê.


Programa Combate Rock – In-Edit Brasil
Comentários Comente

Maurício Gaia

Equipe Combate Rock

O programa desta semana traz como convidado Marcelo Aliche, diretor artístico do In-Edit Brasil – Festival Internacional do Documentário Musical. O evento, que chega à sua oitava ediçao. ocorrerá em Sao Paulo, entre os dias 07 e 18 de setembro.

edicao + ano compacto negativo

Na conversa, Aliche apresenta alguns filmes que estarao em destaque.

Playlist

1 – We Are Here To Fuck Your Ears – Karisma
2 – I Am The Man – anthrax
3 – Start! – The Jam
4 – Heartbreak Hotel – Orion
5 – Brasília – Plebe Rude
6 – Kill Myself – Pin Ups
7 – Guerrilha – Dorsal Atlântica
8- Love in Vain – Robert Johnson
9- No Not Now – Frank Zappa


Notas roqueiras: A.N.I.E., Maestrick, Pop Javali…
Comentários Comente

Combate Rock

Da equipe Combate Rock

Junior Carelli (esq.) e Fernando Quesada, do projeto A.N.I.E. (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Junior Carelli (esq.) e Fernando Quesada, do projeto A.N.I.E. (FOTO: DIVULGAÇÃO)

– O projeto A.N.I.E., liderado por Fernando Quesada (violão e vocal) e Juninho Carelli (teclado e vocal), acaba de disponibilizar uma homenagem a banda Angra e a história do heavy metal nacional. A música escolhida foi “Nova Era”, gravada originalmente no álbum “Rebirth”, de 2001.Os músicos Juninho Carelli e Fernando Quesada são amigos próximos de todos do Angra e sempre que podem fazem questão de prestar suas homenagens a esta grande banda brasileira e uma das mais importantes do mundo. Quesada, por exemplo, tem uma longa relação de amizade e admiração com o baixista Felipe Andreoli (baixo) e participou junto com o vocalista Thiago Bianchi da gravação do álbum “Aurora Consurgens”. Além disso, os músicos tocaram no mesmo palco que o Angra no Rock in Rio e recentemente em um show na cidade de Belo Horizonte. Além de tudo o que foi citado, o tecladista Juninho Carelli vai participar de três shows do Angra como convidado especial em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. O que torna essa homenagem mais especial ainda.
Confira a versão de “Nova Era” do Angra: https://youtu.be/m97m4mHj5jw. No projeto Anie, todas as músicas são tocadas com piano, violão de 12 cordas e 2 vozes, fazendo com que seja um clima intimista e autêntico nas execuções. A produção do áudio e vídeo, além de toda a composição e arranjo, foi feita por Junior Carelli e Fernando Quesada, mostrando mais uma grande produção dentro do mercado independente. “Queremos mostrar algo novo e diferente, mas também esse tipo de música é algo que gostamos bastante e escutamos no nosso dia a dia sempre. São músicas para escutar em diversos lugares e nosso modelo de trabalho mescla bastante o áudio e vídeo, o que é bem moderno e atual”, disse o baixista Fernando Quesada.

– No último dia 27 de junho completou-se um ano da morte do glorioso ex-baixista do Yes, Chris Squire. Fãs assumidos do grupo inglês e do baixista, os músicos da banda paulista Maestrick decidiram prestar um justo tributo a Squire com a gravação de um medley do Yes intitulado “Yes, It's A Medley''. Essa não é a primeira homenagem feita pelo Maestrick. Em 2015, na ocasião do aniversário de cinco anos do falecimento de Ronnie James Dio, o grupo lançou uma regravação de “Rainbow Eyes'', do Rainbow, que contou com a participação da Orquestra Belas Artes. Tanto “Yes, It's A Medley'' quanto “Rainbow Eyes'' fazem parte do tracklist do EP “The Trick Side Of Some Songs'' que o Maestrick lançou recentemente e que também reúne versões para outros clássicos de Beatles, Pink Floyd, Queen e Jethro Tull. De acordo com o vocalista e pianista Fábio Caldeira, o Yes é uma das bandas que os integrantes do Maestrick mais gostam e eles não poderiam deixar passar essa oportunidade de homenagear Chris Squire e revisitar a obra da banda para o EP. “Como não tínhamos ideia de qual música faríamos, optamos pelo medley”, conta o músico. “Referencias a vários clássicos do Yes estão aqui, como “Soon”, “Close To The Edge” e “Roundabout”, além de “Changes”, que apesar de fazer parte de um disco controverso do Yes, tem uma divisão rítmica muito interessante. Mas acho que o inesperado está em “Give Love Each Day”, do álbum “Magnification”, o último gravado com Jon Anderson e todo orquestrado, o meu preferido''.Para conferir “Yes, It's A Medley'', acesse: https://youtu.be/GEcz-sCmliM.
Entre outras novidades, Fabio, junto a seus companheiros Renato “Montanha” Somera (baixo) e Heitor Matos (bateria), continuam trabalhando ao lado do produtor Adair Daufembach (Project46, John Wayne, Hangar) na gravação do próximo disco de estúdio do Maestrick, “Espresso Della Vita: Solare''.

– “The Game of Fate”, do Pop Javali, impressionou em 2014 pela boa qualidade do hard rock apresentado pela banda. Além das músicas, também a produção foi bastante elogiada, de responsabilidade dos irmãos Andria e Ivan Busic (ex-Dr. Sin), que gravaram, produziram e masterizaram o trabalho. Agora, prestes a lançar no mercado o CD “Live in AmsterdamM”, gravado na capital holandesa durante a turnê européia da banda, em outubro de 2015), o Pop Javali anuncia, ainda para agosto deste ano, o início das gravações do novo álbum de músicas inéditas, também nas mãos da Buisic Produções.