Topo
Combate Rock

Combate Rock

Profundo e sofisticado, VUUR estreia no Brasil

Combate Rock

2016-05-20T19:06:59

16/05/2019 06h59

Thiago Rahal Mauro – especial para o Combate Rock

Com produção da Dynamo Brazil e HonorSounds, as bandas holandesas VUUR e Delain e se apresentam no dia 17 de maio de 2019 no Tropical Butantã, sexta-feira, em São Paulo.

Conversamos com Anneke van Giersbergen sobre o trabalho da VUUR e sua ansiedade em se apresentar para o público brasileiro.

Anneke será sempre conhecida como vocalista do The Gathering, mas desde que se solidificou sua carreira solo e gravou vários discos com Devin Townsend o interesse da cantora em criar uma nova banda cresceu cada dia mais.

Para apresentar seu lado mais progressivo, Anneke formou a VUUR, uma nova banda com os melhores instrumentistas da Holanda.

O VUUR vem ao país pela primeira vez para divulgar o álbum "In This Moment We Are Free – Cities". O grupo é formado por Anneke van Giersbergen (Vocal), Ed Warby (bateria), Jord Otto (guitarras), Ferry Duijsens (guitarras) e Johan van Stratum (baixo).

VUUR (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Confira a entrevista com Anneke van Giersbergen:

A banda Vuur vem ao Brasil pela primeira vez. Qual é o sentimento?

Anneke van Giersbergen: Estamos com essa vontade de apresentar as músicas do nosso novo álbum no Brasil! Eu sempre adoro visitar o Brasil com qualquer banda ou projeto e solo. Os fãs são sempre tão apaixonados e amorosos. Mal posso esperar para voltar e apresentar esses shows.

O lançamento do álbum de estreia "In This Moment We Are Free – Cities" é um grande feito para sua carreira. Como você está se sentindo?

Anneke van Giersbergen: Por muito tempo eu quis fazer um álbum de prog metal, mas eu nunca estava no lugar e tempo certo. Quando eu estava trabalhando com Arjen Lucassen em The Gentle Storm, senti mais e mais inspiração para começar a trabalhar nisso. Então comecei a escrever canções em conjunto com Joost van den Broek, que é um compositor e produtor e trabalha muito com Arjen também.

O ponto de partida foi um disco solo que se transformou no álbum de estreia do Vuur ou não foi muito bem assim? Conte-me mais detalhes.

Anneke van Giersbergen: Não, estou trabalhando bastante no gênero metal, mas principalmente colaborando com outros artistas. Eu queria formar minha própria banda de metal e compor música basicamente no gênero prog. Eu gosto muito de ter uma banda, a energia no palco é o que eu queria. Tocar e compartilhar a música e a diversão juntos e junto com o público. Ter uma banda também é mais difícil do que fazer um álbum solo ou uma turnê porque existem mais pessoas e há mais tempo e organização envolvidos. É por isso que alterno entre banda e trabalho solo. E isso me mantém inspirado também, pois eu posso me expressar em várias maneiras.

Vocês apresentaram alguns shows com essa formação antes dessa turnê no Brasil. Como os fãs responderam?

Anneke van Giersbergen: Nós viajamos por mais de um ano com a Vuur com o novo álbum. Muitas pessoas pensaram que quando eu estava fazendo um álbum de metal que soaria como The Gentle Storm, mas eu tive uma visão disso sendo mais pesado e mais progressivo. É por isso que algumas pessoas tiveram que se acostumar com o som do Vuur porque eles estavam antecipando outra coisa, mas felizmente o som cresceu nas pessoas e é bem aceito e amado.

Como você se reuniu com os músicos que agora estão no Vuur?

Anneke van Giersbergen: Eu perguntei aos membros da banda que estavam no The Gentle Storm, um projeto que fiz com Arjen Lucassen, para gravar o álbum comigo eles toparam. A maioria deles ainda está no Vuur comigo. Eles são um grupo de músicos maravilhosamente qualificados.

As músicas do álbum estão estruturadas em várias cidades em seus nomes. Como foi realizada a seleção dessas cidades?

Anneke van Giersbergen: Eu escrevi músicas sobre as cidades que eu retorno frequentemente em turnês. Eu me inspiro muito viajando e por todos esses grandes locais. Toda cidade tem uma história. Eu acho que a combinação de viajar e música é inspirador e me mantém indo e voltando para que eu crie música nova. Eu amo os mundos diferentes e amo combinando-os e unindo-os.

O que você pode falar sobre "Freedom – Rio" e por que Rio e não São Paulo?

Anneke van Giersbergen: Eu sei, eu recebo muitas reclamações de pessoas de outras cidades que eu não escrevi uma música sobre o seu hábitat.  Eu tenho que criar uma parte dois desse álbum. A música Freedom é sobre a flexibilidade e resistência das pessoas no Rio. É um bela cidade com tanta história, mas também um lugar difícil de viver, Eu posso imaginar. As pessoas nas grandes cidades são muitas vezes muito resilientes e aproveitam a vida e o amor com muito mais intensidade.

Você gosta tanto das cidades do como do campo. Fala sobre as diferenças entre eles e como você se sente em cada lugar?

Anneke van Giersbergen: Adoro passear, me movimentar, estar em vários lugares e, ao mesmo tempo, eu preciso de tempo sozinha, em um lugar calmo onde eu posso coletar meus pensamentos no lugar e energia. Adoro andar na natureza. Isso me ajuda na hora de escrever letras ou refletir na minha vida.

Você está muito tempo na estrada. Qual item é obrigatório para você?

Anneke van Giersbergen: Para ser honesta, meu celular, meu passaporte e meu sistema In Ear para usar no palco, são as coisas mais importantes. Após isso, a minha maquiagem e roupa de palco. Eu tento viajar com menos coisas possíveis.

O Vuur nasceu como uma busca por uma sonoridade mais pesada. Você chegou onde queria ou ainda há trabalho para ser feito?

Anneke van Giersbergen: Sim, estou feliz! Eu penso nos dois mundos paralelos: a trilha pesada do Vuur e solo. O lado acústico de minha carreira é bem claro e as pessoas podem escolher qual seguir. No entanto, sou verdadeiramente abençoada com uma audiência que me segue em tudo o que eu estou criando. Quer seja acústico, metal ou uma colaboração.

Qual a principal diferença entre Vuur e The Gathering ou The Gentle Storm?

Anneke van Giersbergen: VUUR é mais pesado, direto e mais prog do que  (mais lento e reThe Gathering, que é "doomier" (mais lento e reflexivo), mais introspectivo de vez em quando. E The Gentle Storm é bombástico, com muita melodia e poder ao mesmo tempo.

Você tem uma ideia para o próximo álbum?

Anneke van Giersbergen: Estou escrevendo e gravando um novo álbum este ano. Um álbum solo acústico. Eu escrevi muitas letras no último mês e comecei a gravar demos algumas semanas atrás. Eu acho que eu lançarei no começo do ano que vem e depois fará uma turnê extensa.

Para finalizar, quais os próximos planos para o VUUR?

Anneke van Giersbergen: Vamos continuar tocando ao vivo, mas para ser honesto, estar em uma banda sozinha, significa investir muito dinheiro, tempo e energia. Estou feliz por ter estabelecido isso e com o quão longe fomos nestes dois primeiros anos com VUUR, mas eu tenho que tomar um ar e respirar com um trabalho solo primeiro. Além disso, tenho escrito um monte de letras e músicas no gênero acústico solo nestes últimos meses, então eu vou escrever e gravar um álbum acústico este ano e sair em turnê com ele no próximo ano. Eu estou combinando VUUR e o trabalho solo, tanto quanto possível. Este é o meu plano para os próximos anos.

Os ingressos continuam à venda no site da Ticket Brasil com valores à partir de 120 reais e com opção de ingresso promocional doando 1kg de alimento para campanha corrida contra fome. Compre seu ingresso: https://ticketbrasil.com.br/show/6677-vuuredelain-saopaulo-sp/.

SERVIÇO:

Delain e Vuur

Data: 17/05/2019

Cidade: São Paulo/SP

Local: Tropical Butantã

Endereço: Av. Valdemar Ferreira, 93 – Butantã, São Paulo – SP

Horário: 19h30

Ingressos online: https://ticketbrasil.com.br/show/6677-vuuredelain-saopaulo-sp/ingressos/

Valores:

Pista Meia – Lote 1 – R$ 120,00

Pista Promo – 1kg Alimento – Lote 1 – R$ 120,00

Pista Inteira – Lote 1- R$ 240,00

Pista VIP+Poster Meia – Lote 1 – R$ 150,00

Pista VIP+Poster Promo – 1kg Alimento – Lote 1 R$ 170,00

Pista VIP+Poster Inteira – Lote 1 – R$ 300,00

Mezanino Open Bar – Lote 1 – R$ 250,00

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br