Combate Rock

Lacuna Coil mostra nítida evolução, e Samsara Blues Experiment encanta com peso e psicodelia

Combate Rock

15/03/2017 07h07

Marcelo Moreira e Henrique Neal*

Integrantes do Lacuna Coil recebem camisas personalizadas do Palmeiras antes do show em São Paulo (FOTO: DIVULGAÇÃO/LIBERATION/FERNANDO PIRES-FLPIRES.COM.BR)

Carisma é tudo. O Lacona Coil se esforça, e muito, mas a presença da boa vocalista Cristina Scabbia toma conta do palco e transforma o que seria um show com não tantos atrativos em um evento roqueiro de muito boa qualidade.

A banda italiana conseguiu escapar da armadilha do chamado new metal. Expandiu o seu som ao longo dos últimos 15 anos, com guitarras mais elaboradas e um som mais pesado e robusto. O resultado é que a base de fãs aumentou muito, principalmente nos Estados Unidos.

No show que a banda fez em São paulo no dia 11 de março, no Carioca Club, Cristina brilhou, mas a banda mostrou-se coesa e firme, acabando com a impressão, deixada em vezes anteriores, de que era um suporte de luxo para a diva.
A evolução é visível em todos os sentidos.

O Lacuna Coil subiu de patamar, sempre com o trabalho de guitarras à frente e soando menos distorcido do que de costume. As músicas ganharam força, com nuances que saltam aos ouvidos em relação a outras apresentações.

Os ponto altos do show foram a ótima “Spellbound”, a excitante “Ultima Radio” e a nova e pesada “Blood, Tears, Dust”. Uma banda de respeito, que fez um show de ótima qualidade.

No Clash Club, um dos shows mais esperados deste primeiro trimestre entregou o que prometeu. Samsara Blues Experiment, a banda alemã que surgiu como sensação do rock psicodélico na década passada, fez uma apresentação densa, viajante e pesada.

Não é um som fácil de apreciar. O psicodelismo muitas vezes descamba para o progressivo puro, com longas viagens sonoras, mas com alta qualidade e execução impecáveis.

À primeira vista, tem-se a impressão de que o quarteto decamba para uma jam session sem fim, como um Pink Floyd desgovernado da época dos álbuns “Ummagumma” e “Atom Heart Mother”.

No entanto, existe um foco e um percurso muito claro percorrido pelos músicos. Delírios se transformam em suítes pesadas e intensas, com um clima angustiante e torturante, e muitas vezes libertador quando as longas canções chegam a um ápice.

Flagrante do show do Samsara no Cais da Imperatriz, no Rio de Janeiro (FOPTO: ABRAXAS/DIVULGAÇÃO)

Um espectador à beira do palco definiu bem uma das paisagens sonoras impostas ao público: “uma experiência lisérgia transcedental e, em elaguns pontos, extrassensorial”.

O grande cavalo de batalha do agora trio é “Singata Mystic Queen”, com suas levadas que misturam o prog do Pink Floyd e o hard setentista do Uriah Heep, com o blues permeando algumas das passagens mais marcantes.

“Into the Black”, “Center of the Sun” e “Lost Souls” foram outros dois temas que impressionaram pela qualidade das execuções, com boas doses de peso e riffs despejados sem dó.

Samsara Blues Experiment é um raro caso de banda que consegue fazer algo diferente na atualidade, ainda que não haja originalidade – mas quem consegue ser original neste século XXI?

Foi um excelente aperitivo para a vinda de outra banda ótima do mesmo estilo, os americanos do Atomic Bitchwax, que em breve estarão no Brasil.

* Henrique Neal é publicitário e gentilmente colaborou com o Combate Rock 

Sobre os Autores

Marcelo Moreira, jornalista, com mais de 25 anos de profissão, acredita que a salvação do Rock está no Metal Melódico e no Rock Progressivo. Maurício Gaia, jornalista e especialista em mídias digitais, crê que o rock morreu na década de 60 e hoje é um cadáver insepulto e fétido. Gosta de baião-de-dois.

Sobre o Blog

O Combate Rock é um espaço destinado a pancadarias diversas, com muita informação, opinião e prestação de serviços na área musical, sempre privilegiando um bom confronto, como o nome sugere. Comandado por Marcelo Moreira e Mauricio Gaia, os assuntos preferencialmente vão girar em torno do lema “vamos falar das bandas que nós gostamos e detonar as bandas que vocês gostam..” Sejam bem-vindos ao nosso ringue musical.
Contato: contato@combaterock.com.br

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Combate Rock
Topo